O que a ciência diz sobre educar crianças com palmadas? Saiba mais!

0 463

Você pode chamar de surra ou palmadas, mas o ato de punir crianças desta maneira é cada vez mais visto pelos pesquisadores como um péssimo instrumento de educação.

Em consonância com este raciocínio, a Associação Britânica de Psicólogos Educacionais (AEP) sugeriu recentemente em um congresso em Manchester que seja ilegal educar crianças desta forma no Reino Unido.

Segundo a BBC News, eles enfatizam que bater é uma forma ineficaz de controle comportamental porque nenhum estudo sólido mostra uma melhoria no comportamento pós-punição. Eles também enfatizam que isso é prejudicial para a mente de jovens adultos e crianças.

John Drewicz, um membro do comitê executivo nacional da AEP, disse que “bater é prejudicial à saúde mental de uma criança. A agressão modela o comportamento agressivo e passa a mensagem para as crianças que não há problema em usar a violência”.

O maior parte do sindicato dos professores do Reino Unido, a União Nacional da Educação, também está apoiando a proposta.

Várias partes do Reino Unido, como o País de Gales e a Escócia, estão em vias de promulgar medidas legislativas que dificultarão as palmadas em crianças. Em dezenas de outros países, como Brasil, Islândia, Espanha e Suécia, isso já é ilegal.

Nos últimos anos, acumularam-se evidências de que punir crianças pelo uso de um grau de violência física é psicologicamente prejudicial.

Evidências

Este estudo, por exemplo, sugere que crianças que recebiam palmadas são mais propensas a terem atrasos no desenvolvimento e relacionamentos violentos. Outro estudo liga punição corporal a uma quantidade reduzida de matéria cinzenta do cérebro na fase adulta.

Associações com baixa autoestima, agressividade aumentada, comportamentos anti-sociais e aptidões cognitivas reduzidas são frequentemente vistas entre os dados.

É verdade que alguns trabalhos individuais têm questões de projeto ou interpretação menores, e é difícil vincular futuros efeitos psicológicos ou mesmo neurológicos à surra sozinha; outras variáveis ​​poderiam, é claro, entrar em jogo aqui.

Leia mais

Você tem uma questão de atribuição nesses casos. Como diz a Scientific American: crianças são espancadas por agirem ou estão agindo porque são espancadas?

Apanhar, bater e castigos corporais também são definidos de forma diferente dependendo de onde você está no mundo. A terminologia de atos específicos nem sempre é sinônimo entre os países, o que dificulta a criação de barreiras legais.

Quando palmadas se tornam abuso infantil?

Tais dilemas também tornam o estudo do tema mais desafiador, pois são necessários termos claramente definidos para isolar os efeitos individuais.

No entanto, como o Professor Dr. Jeff Temple, diretor de Saúde Comportamental e Pesquisa da Universidade do Texas, disse ao IFLScience recentemente que a literatura mostra: “a surra está ligada a resultados negativos – e além disso, sabemos que a surra não funciona”.

Com isso em mente, faz sentido ser cauteloso quanto a esse método e não utilizá-lo.

Como sempre, muitas pessoas responderão a esse movimento da mesma forma que sempre fazem. Eles notarão que foram espancados quando crianças, e que foi importante para o desenvolvimento disciplinar. Eles também alegarão que não tiveram traumas, e é por isso que farão o mesmo com seus filhos.

Não é preciso dizer que isso é uma evidência anedótica, o que certamente não é comparável a investigação científica. Portanto, as palmadas em crianças não são eficazes, pelo contrário, fazem mal!

Fonte: IFLS

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More