Mitos e verdades sobre como melhorar seu exercício físico – Veja!

0 533

Como há muitos conselhos conflitantes sobre o tema exercício físico, decidimos desvendar os maiores mitos e equívocos e os debater (quando possível) com a verdade. Use isso como um guia para entrar em forma da maneira mais eficiente possível.

Nessa matéria você irá aprender a realidade sobre a melhor hora do dia para ir à academia, a forma mais rápida de obter um abdômen trincado e por que correr uma maratona não é a melhor maneira de atingir suas metas de condicionamento físico.

Mito 1: Exercício não ajuda contra os efeitos negativos do envelhecimento.

Na verdade o exercício físico regular tem sim importantes benefícios para o cérebro e para o corpo. Esses benefícios incluem a neutralização de alguns dos efeitos negativos do envelhecimento.

Pesquisadores por trás de um estudo publicado no Journal of the American Heart Association descobriram que pessoas mais velhas que passam menos tempo sentadas e mais tempo se movimentando têm menos sinais de doenças cardíacas, medida por marcadores moleculares no sangue.

Os cientistas tinham 1.600 voluntários britânicos com idades entre 60 e 64 anos que usaram medidores de frequência cardíaca durante cinco dias. Eles analisaram os níveis de atividade física dos participantes e os compararam com indicadores de doenças cardíacas, como precursores de colesterol e uma substância chamada interleucina-6.

No geral, os participantes com mais atividade tiveram níveis menores de todos os biomarcadores negativos.

“É importante substituir o tempo sedentário com qualquer exercício físico”, disse o Dr. Ahmed Elhakeem, professor de epidemiologia na Universidade de Bristol, na Inglaterra, que liderou o estudo.

Mito 2: Metabolismo lento é o principal motivo pelo qual você ganha peso à medida que envelhece.

Na verdade à capacidade de queimar calorias quase não muda depois dos 30 anos, segundo o National Institutes of Health.

Isso significa que o metabolismo não é o verdadeiro culpado quando se trata dos quilos ganhos a cada década que passa.

Leia mais

Em vez disso, o ganho de peso relacionado à idade tem muito mais a ver com os padrões de atividade, que diminuem com o tempo. A melhor maneira de evitar o ganho de peso relacionado à idade é simplesmente se movimentar mais.

Mito 3: Para ficar em forma, você precisa fazer exercício físico apenas uma ou duas vezes por semana.

Nessa caso a verdade é que exercício uma ou duas vezes por semana, não é suficiente para trazer benefícios sustentáveis para a saúde.

Para que seus treinos produzam resultados reais, você deve se exercitar de três a cinco vezes por semana, disse Chris Jordan, o fisiologista do exercício que desenvolveu o treino de sete minutos, disse à Business Insider.

Sua visão é reforçada por um novo estudo publicado em janeiro na revista Circulation, da American Heart Association, que descobriu que os melhores resultados para a saúde do coração eram obtidos quando os participantes se exercitavam de quatro a cinco vezes por semana.

Mito 4: A melhor hora para se exercitar é de manhã.

Na verdade o melhor momento para um exercício físico é o tempo que lhe permite exercitar-se de forma mais consistente. Idealmente, você deve tornar a aptidão física um hábito diário, por isso, treine na melhor hora que puder. Se preferir uma corrida matinal, faça!

Não tem uma preferência? Algumas pesquisas sugerem que trabalhar logo de manhã pode ajudar a acelerar a perda de peso preparando o corpo para queimar mais gordura ao longo do dia.

Mito 5: O levantamento de peso transforma gordura em músculo.

Você não pode transformar gordura em músculo.

Fisiologicamente falando, são dois tecidos diferentes. O tecido adiposo é encontrado sob a pele, entre os músculos e ao redor dos órgãos internos, como o coração. O tecido muscular – que pode ser subdividido em três tipos principais – é encontrado em todo o corpo.

O treinamento com pesos ajuda a construir o tecido muscular. A melhor maneira de reduzir o tecido adiposo é ter uma dieta que incorpore vegetais, grãos integrais, proteínas e gorduras saudáveis, como as encontradas no azeite e no peixe.

Mito 6: Quebra-cabeças e jogos são ótimos treinos para o cérebro.

A verdade é: O exercício físico tradicional parece ser melhor para a saúde do cérebro do que qualquer tipo de quebra-cabeça ou jogo mental disponível, de acordo com uma grande quantidade de pesquisas.

Uma série de estudos recentes sugerem que o exercício físico aeróbico – qualquer tipo de atividade que aumente sua frequência cardíaca e faça com que você se mova e sue durante um período prolongado – tem um efeito significativo e extremamente benéfico sobre o cérebro.

Quando se trata de aumentar seu humor, melhorar sua memória e proteger seu cérebro contra o declínio cognitivo relacionado à idade, o exercício pode ser o mais próximo possível de uma droga miraculosa.

“O exercício aeróbico é a chave para a sua cabeça, assim como é para o coração”, diz um post no blog da Harvard Medical School.exercicio

Mito 7: Exercício é a melhor maneira de perder peso.

A verdade é que se você está querendo perder peso, não pense que você pode simplesmente “gastar” o que você come. Especialistas dizem que emagrecer quase sempre começa com mudanças significativas em seus hábitos alimentares.

“Em termos de perda de peso, a dieta desempenha um papel muito maior do que o exercício”, disse Dr. Philip Stanforth, cientista do exercício da Universidade do Texas, à Business Insider.

Dito isto, a atividade regular é uma parte importante de qualquer estilo de vida saudável.

Mito 8: Abdominal é a forma mais rápida para um abdômen trincado.

Verdade: Ao contrário de abdominais, que visam apenas os músculos abdominais, os planks trabalham vários grupos de músculos ao longo dos flancos, da frente e das costas. Se você quer uma barriga forte, você precisa desafiar todos esses músculos.

“Abdominais fortalecem apenas alguns grupos musculares”, disseram os autores do boletim da Harvard Healthbeat. “Através de padrões dinâmicos de movimento, um bom treino central ajuda a fortalecer todo o conjunto de músculos centrais que você usa todos os dias.”

Mito 9: Leva pelo menos algumas semanas para ficar “fora de forma”.

A verdade é que para a maioria das pessoas, o tecido muscular pode começar a ser perdido dentro de uma semana sem exercício físico regular.

“Se você parar de treinar, você realmente terá descondicionamento notável, ou o início do descondicionamento, com apenas sete dias de descanso completo”, disse Shawn Arent, diretor do Centro de Saúde e Desempenho Humano da Universidade Rutgers. “É muito uma questão de usá-lo ou perdê-lo.”

Mito 10: Correr uma maratona é a maneira ideal de entrar em forma.

Isso não é verdade. Você pode obter muitos dos benefícios da corrida de longa distância sem passar pela marca de 5 km.

Não está pronto para correr uma maratona? Sem problemas. Correr rápido e duramente por apenas cinco a dez minutos por dia pode fornecer alguns dos mesmos resultados de saúde do que correr por horas.

Na verdade, as pessoas que correm menos de uma hora por semana – desde que consigam correr diariamente, têm maiores benefícios cardíacos em comparação com aqueles que correm mais de três horas por semana.

Além disso, anos de pesquisas recentes sugerem que rajadas curtas de exercícios intensos podem proporcionar alguns dos mesmos benefícios para a saúde do que exercícios longos de estilo de resistência – e eles também tendem a ser mais divertidos.

Mito 11: Isotônicos são a melhor maneira de se hidratar depois de um exercício físico.

Falso. Na verdade a maioria das bebidas esportivas são apenas açúcar e água.

Em vez disso, os especialistas recomendam o reabastecimento com água pura e um lanche rico em proteínas, já que estudos sugerem que a proteína ajuda a reconstituir os músculos após um treino.

Mito 12: Você precisa suar para o seu exercício físico valer a pena.

Não é verdade.

Qualquer esforço que faça você se mexer e respirar – seja uma aula de kickboxing duas vezes por semana ou uma caminhada de 30 minutos até o trabalho – tem benefícios mensuráveis ​​para seu cérebro e corpo, de acordo com uma pesquisa publicada esta semana no Journal of the American Heart Association.

No estudo mais recente, os pesquisadores analisaram dados sobre atividade física e taxas de mortalidade de pesquisas nacionais de mais de 4.800 adultos e descobriram que as pessoas que tinham cerca de 30 minutos diários de exercício tinham menor probabilidade de morrer por qualquer causa do que as pessoas que não se exercitam.

O tipo de exercício físico importava menos do que o simples fato de estarem se movimentando regularmente.

“A mensagem principal com base nos resultados apresentados é que a atividade física total (ou seja, de qualquer duração de ataque) fornece benefícios importantes para a saúde”, disseram os autores.

Fonte: IFLS

 

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More