Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Conheça o pássaro que usa terra para se maquiar – Vídeo!

0 47

Os pesquisadores filmaram pela primeira vez abutres egípcios (Neophron percnopterus) colocando lama vermelha em seus rostos.

Os abutres egípcios normalmente têm penas brancas, mas na ilha de Fuerteventura, ao largo da costa da África, muitos deles banham suas cabeças em lama vermelha, deixando-lhes a cabeça e o pescoço vermelhos.

Os pesquisadores não têm certeza por que os abutres fazem isso, mas pode ser para se protegerem de vírus e bactérias, ou para indicarem algo especial sobre sua aparência.

O abutre egípcio ocupa uma vasta gama, com populações residentes isoladas no Cabo Verde e nas Ilhas Canárias no oeste.

A maioria das populações vive na Etiópia e na África Oriental, na Arábia e no subcontinente indiano.
Eles são considerados ameaçados de extinção em todo o mundo, mas 60 casais reprodutores e um total de populações de 300 ocorrem em Fuerteventura nas Ilhas Canárias, na Espanha.

Uma extensa pesquisa sobre as aves nos últimos 20 anos levou a que a maioria (mais de 85%) fosse marcada com anéis de plástico.

Durante os ensaios de monitorização em estações de alimentação na ilha, novamente a ave branca mostrou variação na sua coloração.

Isso levou os pesquisadores a se basearem na Estação Biológica de Doñana, na Espanha, para se perguntarem se os abutres evoluíram em comportamento de pintura de penas semelhante a outras aves como o abutre-de-barba.

Assim, para investigar esse comportamento, pesquisadores liderados pelo Dr. Thijs van Overveld montaram um experimento na principal estação de alimentação da ilha.

Vídeo:

O experimento

Eles apresentaram duas tigelas para os pássaros que visitaram a principal estação de alimentação: uma com solo vermelho dissolvido em água, e uma contendo apenas água.

Quase imediatamente depois de perceber a lama, uma fêmea adulta começou a tingir suas pernas. Ela então passou os dois lados da cabeça na lama, tingindo a cabeça, o peito e as penas do pescoço.

18 dos 91 pássaros que visitaram a estação pintaram-se, e somente um pássaro tomou um banho na bacia com água limpa.

Os pesquisadores descobriram que os pássaros que tingiam suas penas diferiam muito na medida em comparação com os que não tingiam.

Três pássaros retornaram para tomar um banho de lama duas vezes. Também não houve padrão de banho associado com sexo ou idade.

Os pesquisadores não têm certeza se pintura de pena desempenha um papel na comunicação visual ou principalmente para proteger contra vírus ou bactérias, mas eles acreditam que pode ser um pouco de ambos.

Fonte: Daily Mail