Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Pílulas anticoncepcionais podem ter efeitos colaterais piores do que se pensava

0 752

Um novo estudo sugere que as pílulas anticoncepcionais podem ter efeitos colaterais mais perigosos do que se pensava anteriormente.

Uma equipe de pesquisa da Universidade de Michigan analisou o quanto a contracepção oral afeta os níveis hormonais nas mulheres, uma vez que certos hormônios aumentam o risco de câncer de mama.

Analisando sete comprimidos comumente prescritos, os pesquisadores descobriram que quatro deles mais que quadruplicaram os níveis de progestina – uma forma sintética de progesterona – nas mulheres.

Uma pílula aumentou a exposição ao etinil estradiol, um estrogênio sintético fortemente ligado ao câncer de mama, em 40%.

A bióloga evolutiva humana Dra. Beverly Strassmann, que liderou o estudo, disse que a pesquisa não deve desencorajar as mulheres a usarem pílulas anticoncepcionais, pois são uma forma efetiva de contracepção e podem ter outros benefícios médicos.

Em vez disso, ela disse, as descobertas devem ser a motivação para revisar como as pílulas anticoncepcionais são projetadas para minimizar o risco de câncer de mama.

“Não houve muita evolução dessas drogas ao longo do tempo, mas mesmo com o número de pessoas que usam esse controle de natalidade hormonal em todo o mundo, a indústria farmacêutica não deve descansar em seus louros”, disse a professora Dra. Strassmann.

Como foi feito o estudo?

A progesterona e o estrogênio são ambos produzidos pelos ovários e seus níveis variam naturalmente ao longo do ciclo menstrual. A pílula substitui estes hormônios liberados naturalmente com versões sintéticas.

O objetivo do estudo foi testar se as versões sintéticas aumentaram ou diminuíram a exposição hormonal em comparação com o que as mulheres poderiam obter de seus próprios ovários.

“Já sabemos que existe uma correlação entre exposição hormonal e risco de câncer de mama”, disse a professora Strassmann.

Para realizar o estudo, a equipe de pesquisa analisou os dados de 12 estudos anteriores que mediram a quantidade de estrogênio e progesterona sobre o ciclo menstrual em mulheres que não estavam tomando a pílula.

A professora Strassmann comparou os níveis totais de estrogênio e progesterona nessas mulheres com os níveis totais de hormônios sintéticos, progestágenos e estradiol, em mulheres que tomaram uma das várias pílulas anticoncepcionais comumente prescritas durante 28 dias.

Essa informação foi retirada das bulas de cada formulação contraceptiva.

“É extremamente importante saber se a contracepção hormonal agrava ainda mais esse risco”.

Nas mulheres americanas, o câncer de mama é o tipo de câncer mais comum e a segunda principal causa de morte.

A evidência mostra que um período prolongado de altos níveis de estrogênio, por exemplo durante a gravidez ou em mulheres obesas, pode causar crescimento de células anormais

Fonte: University of Michigan.