Naegleria fowleri – A ameba comedora de cérebro faz vítima nos EUA

0 878

Um homem de 29 anos de Nova Jersey morreu por causa de uma infecção por um protozoário. A “ameba comedora de cérebro”, Naegleria fowleri, causou alerta e fez o CDC abrir uma investigação no parque aquático de Waco, Texas.

De acordo com seu obituário, Fabrizio Stabile foi declarado com morte cerebral por médicos no Atlantic City Medical Center em 21 de setembro, apenas um dia depois de ter sido diagnosticado com meningoencefalite amebiana primária (PAM).

Uma página do GoFundMe – criada por amigos e familiares de Stabile para aumentar a conscientização sobre o PAM – escreve que os sintomas de Stabile apareceram pela primeira vez na tarde de 16 de setembro, quando ele sentiu dor de cabeça intensa que o obrigou a tomar analgésicos e deitar-se.

Vários relatos confirmam que ele havia visitado o BSR Cable Park Surf Resort alguns dias antes.

O jovem foi levado às pressas para o hospital no dia seguinte, depois que ele não conseguiu sair da cama ou falar coerentemente. A dor de cabeça, a febre, a confusão e o inchaço do cérebro de Stabile apontavam para algum tipo de meningite – uma inflamação grave e muitas vezes fatal da membrana que envolve o cérebro.

A meningite pode ser causada por um número de bactérias, vírus e parasitas, portanto, a determinação do melhor tratamento requer a identificação do organismo responsável. Isto é feito analisando uma amostra de líquido cefalorraquidiano (LCR). No entanto, os pacientes que apresentam sintomas de meningite aguda são imediatamente tratados com uma variedade de antibióticos e antiinflamatórios enquanto os exames laboratoriais estão pendentes.

“Infelizmente, Fabrizio não estava respondendo a essas medidas e sua condição estava se deteriorando rapidamente. Ele havia sido testado para uma infinidade de doenças causadas por várias bactérias e vírus, mas os resultados estavam voltando negativos ou inconclusivos”, disse a página do GoFundMe.

Finalmente, em 20 de setembro, “o líquido cefalorraquidiano (LCR) de Fabrice testou positivo para a ameba, Naegleria fowleri, que causou uma infecção rara que só foi diagnosticada 143 vezes nos Estados Unidos nos últimos 55 anos”. Essa infecçaão possui uma taxa de fatalidade de 98%”, continuou a página, compartilhando os números de mortalidade listados pelo CDC.

Ciclo de vida da Naegleria fowleri:

Leia mais

ameba comedora de cérebro
Naegleria fowleri ocorre naturalmente em corpos de água quente e doce em todo o mundo e pode ser encontrada em piscinas e banheiras de hidromassagem que não são suficientemente tratadas quimicamente.

Mas apesar de sua onipresença nas águas em que nós humanos amamos nadar, os casos de PAM são incrivelmente poucos e distantes porque a ameba é inofensiva se entrar no corpo através do trato digestivo.

Em vez disso, o PAM surge quando a N. fowleri entra em contato com o tecido que reveste o interior do nariz e dos seios. A partir daí, o micróbio segue os nervos olfativos para o cérebro, onde começa a consumir tecido neural e se multiplica rapidamente.

As vítimas passadas do PAM contraíram a ameba depois de molhar o nariz enquanto nadavam ou de usar água contaminada para irrigar seus seios nasais.

Devido à sua raridade e natureza extremamente letal, historicamente, a comunidade médica teve pouca chance de desenvolver e comparar os tratamentos de PAM.

No entanto, alguns progressos foram feitos nos últimos anos. Desde 2013, três pacientes com PAM sobreviveram após o regime antimicrobiano e esteróide ter sido suplementado com a droga antiparasitária miltefosine.

Os danos cerebrais de Stabile haviam passado do ponto de não retorno no momento em que a miltefosina poderia ter sido administrada.

De acordo com o Waco Tribune-Herald, o CDC coletou amostras de água do BSR Surf Resort, que foi fechado voluntariamente até os resultados do teste.

Fonte: IFLS

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More