Mastopexia e Mamoplastia: quais as diferenças e quando são indicadas – VÍDEOS!

Crédito da imagem: jetmedicaltourism.com
0 530

Saiba quais as diferenças entre as cirurgias mamárias e tire suas principais dúvidas sobre o assunto. 

As cirurgias mamárias têm sido cada vez mais procuradas pelas mulheres brasileiras.

Seja para diminuir o tamanho dos seios, acabar com a flacidez ou dar aquela turbinada no visual, não tem como negar que as cirurgias mamárias são muito bem-vindas!

Pensando nisso, hoje vamos explicar as diferenças entre a mastopexia e mamoplastia, para que você entenda quando cada cirurgia é indicada.  

Mamoplastia

As mamoplastias são qualquer tipo de cirurgia plástica que interfiram no formato das mamas, deixando-as mais harmoniosas e estruturadas em comparação com o restante do corpo.

Quando realizada para aumentar o tamanho dos seios, gerando maior volume, é denominada mamoplastia de aumento. Quando o objetivo é diminuir o tamanho dos seios, é chamada de mamoplastia redutora.

Além desses dois principais tipos, que são os mais conhecidos, também existe a mastopexia (lifting de mamas) e a cirurgia de retirada das mamas (mastectomia).

Mamoplastia de aumento

Sendo uma das cirurgias plásticas mais realizadas no Brasil, a mamoplastia de aumento é feita para aumentar o volume dos seios e deixá-los com aspecto mais atraente, graças ao uso de próteses de silicone.

Para quem a mamoplastia de aumento é indicada?

Esse tipo de mamoplastia é indicado para mulheres que não se sentem satisfeitas com o volume dos seios e desejam dar uma “avantajada na linha de frente”, deixando as mamas mais firmes e atraentes.

Como é realizada a cirurgia?

A incisão pode ser realizada em vários locais, dependendo da técnica utilizada pelo cirurgião (axila, areola ou sulco mamário).

De acordo com o tipo de mama da paciente e da quantidade de tecido mamário pré-existente, o médico irá inserir a prótese abaixo ou acima do músculo.

Mamoplastia redutora

Diferentemente da mamoplastia de aumento, a redutora é feita para diminuir os seios que são grandes naturalmente.

Quais são as indicações desse procedimento?

Não é só o quesito estético que acaba entrando em questão nas mamas volumosas.Muitas mulheres sofrem desconforto e até problemas posturais devido ao volume extra nas mamas. Por isso, a mamoplastia redutora é indicada para acabar com o problema das mamas volumosas, seja pelo aspecto físico desproporcional ou pelas complicações de saúde envolvidas.

Como funciona essa cirurgia?

O principal objetivo desse tipo de mamoplastia é remover o excesso de pele, gordura e tecido da glândula mamária, garantindo um aspecto mais bonito e proporcional, de acordo com a anatomia do corpo da paciente.

A cicatriz fica em formato de “T invertido”, “L” ou periareolar. Tudo irá depender da quantidade de pele que precisa ser retirada e das indicações de cada cirurgião.

Pós-operatório das mamoplastias:

O pós-operatório tanto da mamoplastia de aumento quanto das redutoras é bastante similar. Ambos envolvem cuidados especiais com a movimentação dos braços, repouso, esforços físicos e uso do sutiã cirúrgico.

Além disso, um cuidado crucial deve ser tomado com a cicatriz e os curativos, evitando a formação de sequelas desagradáveis nessa área tão importante para o corpo da mulher.

Mastopexia

A mastopexia é um tipo de cirurgia plástica indicada para elevar as mamas até a posição natural. O procedimento também é conhecido como lifting de mama ou lifting mamário.

 Com o passar dos anos, é normal que os seios comecem a cair – tal processo é denominado ptose mamária. Por esse motivo, a pele das mamas se torna mais flácida e elas podem ficar até assimétricas, tendo um aspecto não muito agradável. É aí que a mastopexia entra em ação!

Como funciona a mastopexia?

O procedimento é realizado via sedação e anestesia, durando de uma hora e meia até quatro horas, dependendo de cada caso.  Geralmente as incisões são feitas ao redor dos mamilos, se estendendo em uma linha vertical para a base do seio, a famosa cicatriz “T invertido”.

 O objetivo principal é retirar o excesso de pele e reposicionar o tecido mamário, devolvendo uma estrutura firme para a mama que agora está flácida.

A maioria dos casos não envolve internação por um período maior que um dia e várias pacientes recebem alta horas depois da cirurgia.

Alguns casos envolvem a mastopexia em conjunto com a mamoplastia de aumento, pelo uso de próteses de silicone. Isso acontece porque o tecido mamário acaba atrofiando com o passar da idade e a estrutura fica cheia de espaços vazios. Caso seja feita a mastopexia sem próteses, pode ser que a sustentação e firmeza não fiquem completamente satisfatórias. Nesses casos, o uso de próteses pode ser indicado.

Pacientes que não apresentam grande quantidade de tecido mamário após mastopexia também podem se beneficiar com o uso de próteses.

Pós-operatório:

Os cuidados com a movimentação dos braços precisam ser redobrados, principalmente nas primeiras semanas. A rotina deve ser retomada aos poucos, sendo que os primeiros 15 dias devem ser de repouso.

O sutiã cirúrgico é essencial para remodelar a mama, e deve ser utilizado de acordo com as recomendações do cirurgião, pelo período mínimo de 30 dias.

Os cuidados com as cicatrizes são cruciais: deve-se evitar qualquer atividade que possa alargar a cicatriz ou dificultar o processo de cicatrização, como realização de esforços e tabagismo, assim como em qualquer outro tipo de mamoplastia.

Além disso, o curativo e a higiene devem estar sempre em dia, fazendo uso de pomadas específicas para uma correta cicatrização.

Lembre-se que a cicatriz da mastopexia é ainda maior do que de outras mamoplastias, então o cuidado cicatricial é essencial para prevenir complicações, como a formação de quelóides.

Quais são as contraindicações do procedimento?

A cirurgia não é muito indicada para mulheres jovens, visto que pode atrapalhar o aleitamento materno.

Mulheres com doenças autoimunes ou crônicas também devem evitar a cirurgia, cabendo ao cirurgião plástico determinar a possibilidade para realização do procedimento.

Considerações finais

As mamoplastias podem ser muito recomendadas para mulheres que não se sentem plenamente satisfeitas com algum aspecto de suas mamas: seja o tamanho, a flacidez ou assimetrias.

As que sofrem com a flacidez podem se beneficiar com a mastopexia. As que querem avantajar o volume dos seios, com a mamoplastia de aumento. E aquelas que sofrem com problemas de coluna podem diminui-los pela mamoplastia redutora.

Agora que você conferiu as principais diferenças entre as cirurgias mamárias, lembre-se de consultar sempre um profissional qualificado para realizar o seu procedimento, contribuindo para o sucesso da cirurgia plástica.

Fonte: AesCare

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More