Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Novo tratamento contra câncer de pênis evita a remoção do órgão

0 64

A cura do câncer de pênis que permite que os pacientes continuem a ter relações sexuais após o tratamento foi revelada por cientistas.

Homens com câncer de pênis rotineiramente têm parte ou todo o órgão removido por cirurgia para se curarem da doença.

No entanto, um tratamento alternativo com braquiterapia, um tipo de radioterapia, pode ajudar os pacientes a vencer o câncer e manter seu pênis intacto.

Um estudo com mais de 200 homens com câncer de pênis descobriu que 79% dos pacientes que optaram por braquiterapia sobreviveram pelo menos dez anos após o tratamento.

A taxa de sobrevivência para aqueles tratados por remoção cirúrgica é de 85%, de acordo com a American Cancer Society.

Pesquisadores do Gustave Roussy Cancer, na França, estudaram as taxas de sobrevivência de 201 homens, com mais de 45 anos, que optaram por braquiterapia em vez de cirurgia.

Braquiterapia

Todos os homens foram circuncidados e tratados com braquiterapia, que envolveu a inserção de fios radioativos dentro ou perto do tumor.

Os fios emitem radiação a uma baixa dose durante vários dias para matar as células cancerosas. Cinco anos após o tratamento a probabilidade de sobreviver com o pênis intacto foi de 85%.

A taxa de sobrevivência foi de 79% e 82% não tiveram câncer de pênis novamente.

No entanto, oito homens (quatro por cento) tiveram que ter seus pênis removido por cirurgia e 18 homens (13 por cento) tiveram cirurgia parcial após o retorno do câncer.

Os homens eram mais propensos a sofrer uma recorrência do câncer se tivesse começado a se espalhar para os gânglios linfáticos na virilha. Pacientes que tinham tumores maiores que quatro centímetros (dois polegadas) de diâmetro também eram propensos a ter câncer de pênis novamente.

Dos doentes tratados, 13 homens (seis por cento) necessitaram de tratamento cirúrgico para efeitos secundários, incluindo ulcerações dolorosas.

Autor do estudo, o Dr. Alexandre Escande, disse: “Estes resultados mostram que a braquiterapia é o tratamento de escolha para os pacientes selecionados cujo câncer não se espalhou para as regiões esponjosas do tecido erétil no pênis – o corpo cavernoso.”

Câncer de pênis

O câncer de pênis é raro e afeta apenas um em 100.000 homens em países desenvolvidos, disseram os pesquisadores.

O tratamento mais frequente é a cirurgia para remover a glande (o tecido no final do pênis), que tem um impacto no funcionamento sexual e urinário do homem.

Fonte: Daily Mail