Filmagem mostra novo comportamento das baleias azuis – Assista!

0 243

As baleias azuis nadam até a superfície para se alimentarem de krill. Procurar alimento na superfície pode ajudá-las a economizar energia, de acordo com um novo estudo que envolveu incríveis imagens de drones dos mamíferos.

Especialistas da Universidade Estadual do Oregon descobriram que a alimentação na superfície do oceano desempenha um papel importante no comportamento de caça das baleias azuis da Nova Zelândia.

As baleias azuis são os maiores mamíferos da Terra. Elas precisam equilibrar cuidadosamente o custo de energia que recebem dos alimentos com o custo de energia usado para obtê-los.

Pesquisadores dizem que os mamíferos marinhos buscam o krill em áreas onde são densamente compactados e encontrados perto da superfície da água para reduzir o tempo de mergulho.

A equipe do Oregon descobriu que as baleias azuis fazem isso para economizar nos custos energéticos da alimentação, como mergulhar, prender a respiração ou abrir a boca.

Vídeo:

Além do desafio, suas presas são pequenas e, portanto, precisam encontrar e comer grandes volumes de pequenos crustáceos para ter lucro energético.

A autora do estudo, Dra. Leigh Torres, professora assistente da Universidade Estadual do Oregon, disse: “As pessoas pensam que as baleias têm que mergulhar fundo para chegar às áreas mais densas de alimentos.”

“Mas se eles conseguem encontrar suas presas em águas rasas, é realmente mais rentável energeticamente se alimentar perto da superfície”, disse Dra. Torres.

Durante uma viagem de pesquisa de campo para estudar baleias azuis na costa da Nova Zelândia, a Dra. Torres e sua equipe observaram a alimentação da superfície do barco.

Leia mais

Eles também foram capazes de capturar imagens de drones da alimentação usada no estudo.

Os pesquisadores observaram que a densidade dos fragmentos de krill era maior perto da superfície da água e a provável razão pela qual as baleias escolheram essas áreas para se alimentar.

Tempo de mergulho é fator primordial no balanço energético

As descobertas revelaram que as baleias azuis da Nova Zelândia tiveram tempos de mergulho relativamente curtos com cerca de 2,5 minutos. Em comparação com outras populações de baleias azuis que podem mergulhar por mais de mais de 10 minutos.

O tempo de mergulho das baleias azuis da Nova Zelândia caiu ainda mais – para menos de dois minutos, quando a caça foi na superfície. Como observado nas imagens de drones.

A coautora Dawn Barlow, estudante de doutorado no laboratório de Torres, disse que a filmagem preenche uma lacuna na compreensão dos cientistas sobre a alimentação na superfície.

Fonte: Daily Mail

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência Aceitar Leia Mais