Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Garota brasileira retira tumor facial de 2 kg nos EUA. Fotos!

0 110

Uma criança brasileira de três anos com um tumor facial enorme foi submetida a uma operação que pode salvar sua  vidas. A cirurgia foi feita por médicos dos EUA.

Melyssa Delgado Braga tinha o que se acredita ser um dos maiores mixomas já registrados – pesando 2,2 kg.

Os médicos descreveram o crescimento benigno como “quase como uma outra cabeça presa à mandíbula”. Ela havia deslocado a língua para o ponto em que ela era incapaz de comer e engolir – deixando-a à beira de estar desnutrida.

No entanto, os cirurgiões de São Paulo, no Brasil, advertiram que ela provavelmente morreria porque o tratamento seria demais para seu sistema imunológico enfraquecido.

Mas depois de tomar conhecimento de seu caso graças a uma campanha no Facebook, médicos da Louisiana State University (LSU) doaram seus serviços gratuitamente. Eles removeram todo o crescimento em um procedimento de oito horas em dezembro, permitindo-lhe comer, conversar e rir pela primeira vez em sua vida.

Sua mãe, Carol, 21, disse: “Estávamos desesperados para salvar a vida da nossa filha. Cirurgiões no Brasil nos disseram que nossa Melyssa ia morrer porque o tratamento que eles queriam dar a ela seria demais para seu sistema imunológico enfraquecido. Disseram-nos que sua única chance de sobrevivência era procurar ajuda nos EUA.”

Diagnóstico em 2014

Médicos do Hospital Santa Casa de Misericórdia de São Paulo diagnosticaram o tumor benigno em 2014 depois de notar um nódulo no pescoço.

No entanto, eles foram incapazes de tratá-lo – apesar de ter destruído todo o osso da mandíbula em seu lado direito.
Ela, muitas vezes, luta para manter a cabeça ainda devido ao peso do tumor.



Partes do tumor também começaram a morrer, pois o suprimento de sangue não conseguia acompanhar o rápido crescimento. Para procurar assistência médica, seus pais criaram uma página no Facebook chamada Ajudem a Melyssa em novembro.

Visando levar sua filha para os EUA, onde eles acreditavam que ela iria receber tratamento, eles também gravou um apelo de vídeo.Surgeons in Sao Paulo, Brazil, warned that she would likely die because the treatment would be too much for her weakened immune system - forcing her parents to start a Facebook campaign to try and raise attention to her (pictured together in the US before surgery)

Leia mais

O médico brasileiro Celso Palmieri, professor assistente de cirurgia oral e maxilofacial na LSU, viu relatos on-line sobre Melyssa e decidiu ajudar.

Dr. Palmieri disse: “Eu estava lendo um site brasileiro no ano passado quando me deparei com a história e a imagem da Melyssa. Eu disse “eu acho que podemos ajudá-la”.

“O caso de Melyssa foi particularmente especial devido ao tamanho do tumor. Este foi de longe o maior que já vimos.
Ele entrou em contato com a família Melyssa através de mídias sociais e dentro de um mês ela estava se preparando para a cirurgia.”

O procedimento inicial, que foi financiado por uma instituição de caridade em Shreveport, foi realizada em 20 de dezembro levou mais de oito horas e foi um sucesso.

A cirurgia

Os médicos inseriram uma placa de titânio para reconstruir a mandíbula inferior da criança e ela começou a comer adequadamente pela primeira vez.

Melyssa's mother, Carol, 21, said: 'We were desperate to save our daughter's life' (pictured after surgery)Uma vez que o tumor foi removido Melyssa recuperou o pleno uso de sua língua, e sua respiração foi restaurada.
O Dr. Ghali, que estava envolvido no procedimento, disse: “A transformação na aparência da criança é notável. Se você olhar fotos de antes da cirurgia, você pode ver que o tumor tomou toda a mandíbula, de um lado para o outro.”

“Este era um fardo enorme e uma boa porcentagem do peso de Melyssa porque ela pesa somente 12 kg em tudo.”
Sem a cirurgia, ela precisaria de um tubo de alimentação e estava cerca de um mês longe de sua respiração sendo bloqueada.

Os pacientes geralmente morrem de morte lenta e progressiva pela combinação de desnutrição e bloqueio das vias aéreas, disseram.

A família estará retornando ao Brasil nas próximas semanas, mas a viagem da Melyssa para uma melhor saúde continuará durante boa parte de sua vida jovem, assim como a captação de recursos.

Se quiser ajudá-la, faça sua doação AQUI.

Fonte: Daily Mail