Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Quem tem mais medo da morte: religiosos ou ateus? Confira o que disse nova pesquisa

0 197

Um novo estudo descobriu que ateus e pessoas muito religiosas têm algo em comum – elas estão entre os que menos têm medo de morrer.

Pesquisadores têm sugerido que aqueles que não têm a crença em um poder maior encontram conforto na morte.

A equipe também descobriu que as pessoas que são religiosas por causa de benefícios sociais ou emocionais sofreram mais com a “ansiedade da morte” – o medo persistente da própria morte.

Uma equipe de especialistas da Universidade de Oxford chegou a essa conclusão enquanto investigavam se os crentes religiosos deveriam ter menos medo da morte do que os não-religiosos.

“As metanálises são procedimentos estatísticos usados ​​para extrair e combinar os resultados de múltiplos estudos”, explicou o Dr. Jonathan Jong, pesquisador associado do Instituto de Antropologia Cognitiva e Evolutiva e Pesquisador da Coventry University.

Dr. Jong liderou uma equipe de pesquisadores de Oxford, Coventry, Royal Holloway, Gordon College, Universidade de Melbourne e Universidade de Otago para pesquisar sistematicamente a relação entre a ansiedade de morte e a crença religiosa.

Para alcançar seus resultados, Dr. Jong e sua equipe usaram 100 artigos relevantes que foram publicados entre 1961 e 2014 com informações sobre 26.000 pessoas em todo o mundo.

Depois de combinar os dados, a equipe descobriu que níveis mais altos de religiosidade estavam fracamente ligados a níveis mais baixos de ansiedade de morte.

Os efeitos eram semelhantes se eles olhavam para crenças religiosas como a crença em Deus, e uma vida após a morte, ou comportamento religioso como ir à igreja e orar.

Alguns estudos também distinguiram entre religiosidade intrínseca e religiosidade extrínseca.

A religiosidade extrínseca é quando o comportamento religioso é motivado por considerações pragmáticas, como os benefícios sociais ou emocionais de seguir uma religião, enquanto religiosidade intrínseca refere-se ao comportamento religioso impulsionado pela “crença verdadeira”.

O estudo

A metanálise mostrou que, enquanto as pessoas que eram intrinsecamente religiosas tiveram níveis mais baixos de ansiedade de morte, aqueles que eram extrinsecamente religiosos revelaram níveis mais elevados de ansiedade de morte.

No entanto, os pesquisadores também descobriram que pessoas que se consideram religiosas tinham mais medo do “fim” do que as pessoas não religiosas.

Além disso, mais da metade das pesquisas não mostraram nenhuma ligação entre o medo da morte e a religiosidade.

Esse quadro misto mostra que a relação entre religiosidade e ansiedade de morte pode não ser fixa, mas pode variar de contexto para contexto.

Mas como os estudos foram realizados em diferentes partes do mundo, uma maioria nos Estados Unidos e um pequeno número no Oriente Médio e na Ásia, a equipe encontrou dificuldades em estimar como o padrão varia de de acordo com cultura e religião.

Em vez de supor que a religiosidade seja positivamente ou negativamente relacionada à ansiedade de morte, alguns pesquisadores postularam que a relação é como uma forma de U invertida, com crentes religiosos e descrentes mostrando menos ansiedade de morte do que as pessoas no meio.

“Pode ser que outros pesquisadores teriam encontrado esse padrão inverso-U também se o tivessem procurado”, explicou Dr. Jong. “Isso complica definitivamente a visão antiga, de que as pessoas religiosas têm menos medo da morte do que as pessoas não-religiosas.

“Bem pode ser que o ateísmo também proporciona conforto da morte, ou que as pessoas que simplesmente não têm medo da morte não são obrigadas a buscar a religião.”

Fonte: Daily Mail