Cientistas descobrem a “tomada do sono” no cérebro – Entenda!

0 326

Os cientistas descobriram um conjunto de células nervosas no cérebro cruciais para a nossa capacidade de dormir e controlar a temperatura do nosso corpo.

Como o sono funciona no cérebro humano, em grande parte permaneceu um mistério, com algumas pessoas aparentemente sendo capazes de adormecer em um instante, enquanto outras demoram significativamente mais tempo.

Agora, no entanto, uma pesquisa publicada pela Nature Communications por uma equipe de cientistas parece confirmar a descoberta da “tomada do sono” do cérebro, duas décadas depois de ter sido sugerida pela primeira vez.

A equipe do Departamento de Neurologia do Centro Médico Beth Israel Deaconess, nos Estados Unidos, revelou que as células – localizadas em uma região do hipotálamo chamada núcleo pré-óptico ventrolateral (VLPO) – são essenciais para que possamos adormecer.

Trabalhando com camundongos geneticamente modificados, a equipe ativou artificialmente os neurônios VLPO usando várias ferramentas diferentes. Em um experimento, a equipe ativou as células do neurônio usando uma técnica de raio laser chamada optogenética.

Em outro teste, os pesquisadores usaram uma substância química que seletivamente ativa os neurônios VLPO.

Em ambos os testes, eles descobriram que esses neurônios eram cruciais nos animais que dormiam. Isso confirmou descobertas anteriores da equipe liderada por Clifford Saper de que danos a esses neurônios podem causar insônia.

Contrariando resultados

O mais interessante é que esses resultados contradizem completamente outro estudo publicado em 2017, que descobriu que os neurônios VLPO estimulantes faziam com que os camundongos se tornassem alertas.

Explicando essa contradição, Dr. Saper disse: “Descobrimos que quando as células VLPO são estimuladas uma a quatro vezes por segundo resulta em sono.”

“Mas, se você estimulá-los mais rápido do que isso, eles começam a falhar em disparar e acabam parando completamente. Aprendemos que nossos colegas do outro laboratório estavam estimulando as células 10 vezes por segundo, o que na verdade as estava desligando”.

Leia mais

Outra descoberta interessante na pesquisa foi como os neurônios VLPO controlam a temperatura corporal – ou, mais especificamente, como eles nos tornam mais frios quando ativados.

Nos ratos, a ativação do VLPO causou uma queda nas temperaturas corporais em até seis graus Celsius. “Nós pensamos que é por isso que muitas pessoas precisam de um cobertor quente para conseguir dormir”, disse Saper.

A equipe propôs que o disparo excessivo desses mesmos neurônios pode ser responsável pelo sono prolongado e pelo declínio da temperatura corporal em animais que hibernam.

Fonte: Nature communications

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More