Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Contagem de esperma humano diminui drasticamente e assusta cientista

0 359

Os seres humanos podem se tornar extintos se a contagem de esperma em homens da América do Norte, Europa e Austrália continuarem a cair a taxas atuais, advertiu um médico.

Os pesquisadores que avaliam os resultados de quase 200 estudos separados dizem que as contagens de esperma entre os homens dessas áreas parecem diminuir a metade em menos de 40 anos.

Alguns especialistas são céticos quanto às descobertas, publicada na Human Reproduction Update.

Mas o pesquisador principal, Dr. Hagai Levine, disse que estava “muito preocupado” com o que poderia acontecer no futuro.

A avaliação reúne os resultados de 185 estudos entre 1973 e 2011, um dos maiores já realizados.

Dr. Levine, um epidemiologista, disse à BBC que, se a tendência continuasse, os seres humanos se extingiriam.

Taxa de declínio “crescente”

“Se não mudarmos as formas em que vivemos no meio ambiente e os produtos químicos que estamos expostos, estou muito preocupado com o que acontecerá no futuro”, afirmou.

“Eventualmente, podemos ter um problema, e com a reprodução em geral, e pode ser a extinção da espécie humana”.

Cientistas não envolvidos no estudo louvaram a qualidade da pesquisa, mas dizem que pode ser prematuro chegar a tal conclusão.

O Dr. Levine, da Universidade Hebraica de Jerusalém, encontrou um declínio de 52,4% na concentração de esperma e um declínio de 59,3% na contagem total de esperma em homens da América do Norte, Europa, Austrália e Nova Zelândia.

Leia mais

O estudo também indica que a taxa de declínio entre os homens que vivem nesses países continua e possivelmente aumentando.

Pesquisa anterior “defeituosa”

Em contraste, não houve declínio significativo na América do Sul, Ásia e África, mas os pesquisadores apontam que muito menos estudos foram conduzidos nestes continentes.

Muitos estudos anteriores indicaram declínios acentuados similares na contagem de esperma nas economias desenvolvidas, mas os céticos dizem que uma grande proporção delas foi errada.

Alguns investigaram um número relativamente pequeno de homens ou incluíam apenas homens que frequentavam clínicas de fertilidade e, portanto, são, em qualquer caso, mais propensos a ter baixas contagens de esperma.

Também há preocupação de que os estudos que afirmam mostrar um declínio nas contagens de esperma são mais propensos a serem publicados em revistas científicas do que aqueles que não.

Outra dificuldade é que os primeiros métodos de contagem de esperma podem ter superestimado a verdadeira contagem.

Em conjunto, esses fatores podem ter criado uma visão falsa da queda de contagem de esperma.

Mas os pesquisadores afirmam ter explicado algumas dessas deficiências, deixando alguns duvidosos, como o Prof. Allan Pacey da Sheffield University, menos céticos.

Ele disse: “Nunca fui particularmente convencido pelos muitos estudos publicados até o momento alegando que a contagem de esperma humano declinou no passado recente”.

“No entanto, o estudo hoje realizado pelo Dr. Levine e seus colegas lidam de frente com muitas das deficiências de estudos anteriores”.

Fumo e obesidade

Mas Prof. Pacey acredita que, embora o novo estudo tenha reduzido a possibilidade de erros, ele não os remove completamente. Então, ele diz, os resultados devem ser tratados com cautela.

“O debate ainda não foi resolvido e ainda há muito trabalho por fazer. No entanto, o documento representa um passo à frente na clareza dos dados que, em última instância, nos permitem definir melhores estudos para examinar essa questão”.

Não há evidências claras do motivo dessa aparente diminuição. Mas tem sido associada à exposição a produtos químicos utilizados em pesticidas e plásticos, obesidade, tabagismo, estresse, dieta e até mesmo assistir muita TV.

Dr. Levine diz que há uma necessidade urgente de descobrir por que a contagem de esperma está diminuindo e encontrar maneiras de reverter a tendência.

“Devemos agir – por exemplo, melhor regulamentação dos produtos químicos artificiais – e devemos continuar nossos esforços no combate ao tabagismo e à obesidade”.

Fonte: BBC