Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Alto nível de cálcio no sangue é um fator de risco para ataque cardíaco

0 248

Níveis elevados de cálcio na corrente sanguínea determinam o risco aumentado de uma pessoa de desenvolver doença arterial coronariana e ataque cardíaco, sugere um novo estudo.

A doença da artéria coronária (CAD), que muitas vezes resulta em um ataque cardíaco, é a causa mais comum de morte em um nível global.

De acordo com os Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC), cerca de 735 mil pessoas sofrem de ataque cardíaco todos os anos apenas nos Estados Unidos.

Os principais fatores para doença cardíaca identificados até agora incluem fumar, níveis elevados de colesterol, diabetes e consumo de álcool.

Um novo estudo realizado pela Dra. Susanna C. Larsson, do Instituto Karolinska em Estocolmo, na Suécia, e seus colegas aponta para uma predisposição genética para níveis mais elevados de cálcio como um possível fator de CAD e ataque cardíaco.

Suas descobertas são publicadas na edição atual da JAMA.

Variantes genéticas podem ser a chave

Em seu artigo, os pesquisadores destacam a importância do cálcio no sistema, mencionando seu papel na coagulação do sangue, na regulação da pressão arterial e na contração muscular.

Eles também explicam que seu estudo foi estimulado por pesquisa anterior que sugeriu uma correlação entre os níveis de cálcio e CAD.

No entanto, eles observam que a natureza observacional de estudos anteriores significou que seus resultados não foram conclusivos e uma ligação causal entre alto teor de cálcio no sangue e CAD ou ataque cardíaco não pôde ser comprovada.

Dr. Larsson e seus colegas optaram por uma abordagem diferente.

Leia mais

Eles usaram uma técnica chamada randomização mendeliana, um método usando variantes genéticas – ou seja, diferenças genéticas que nos permitem dizer o quão suscetíveis a condições e doenças particulares – testar as ligações causais entre níveis de cálcio e CAD ou ataque cardíaco.

O estudo

O estudo foi realizado em dados publicamente disponíveis coletados de 184,305 indivíduos. Destes, 60.801 foram diagnosticados com CAD, 70 por cento dos quais também sofreram um ataque cardíaco e 124.504 foram considerados com doença cardíaca.

Na análise, os pesquisadores levaram em consideração seis variantes genéticas relacionadas aos níveis de cálcio no sistema.

Como esperado, eles descobriram que um maior risco de CAD e ataque cardíaco estava relacionado a uma predisposição genética para uma maior concentração de cálcio no sangue.

Os pesquisadores também se interessaram pelo efeito de suplementos de cálcio em indivíduos já predispostos a níveis mais elevados de cálcio.

No entanto, eles não conseguiram confirmar se uma ingestão de suplementos também afetaria o risco de CAD ou ataque cardíaco nesses casos.

Dr. Larsson e seus colegas destacam a necessidade de uma investigação mais aprofundada sobre essa contagem.

Fonte: Medical News