Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Pesquisa prevê que ateus irão acabar e motivo envolve religiosos

0 264

Um controverso estudo novo afirmou que o ateísmo está próximo de acabar.

Os pesquisadores descobriram que, devido a pregação contra métodos contraceptivos que os grupos religiosos pregam eles tendem a ter mais filhos do que os ateus.

Essas descobertas compensam a previsão popular de que o “pensamento científico” acabará por substituir o “pensamento sobrenatural humano”.

O estudo foi conduzido por pesquisadores dos EUA e Malásia e o estudo foi publicado na revista Evolutionary Psychological Science.

A equipe amostrou mais de 4.000 estudantes que frequentam diferentes faculdades, nos EUA e Malásia, que foram questionados sobre suas crenças e número de irmãos.

Após um questionário de quatro páginas, os pesquisadores descobriram que, em ambos os países, o grupo mais fértil era muçulmano.

Na Malásia, as famílias muçulmanas tiveram uma média de 5,89 crianças e 4,29 nos Estados Unidos.

Os pais mais férteis segundo na Malásia eram hindus com 4,01 crianças – mas esta era uma pequena amostra de apenas cinco alunos.

Os ateus que viviam na Malásia tinham uma média de 3,67 filhos e os pais de estudantes americanos que também não faziam parte de um grupo religioso tinham 3,04.

Verificou-se também que os cristãos que vivem nos EUA tinham 3,11 crianças e os católicos tinham 3,42.

“Se combinarmos esse achado com a extensa evidência revisada na introdução de que tanto a religiosidade como a fertilidade são substancialmente influenciadas por genes, uma vez que se pode deduzir que a longo prazo, a secularização não é susceptível de substituir a popularidade das religiões”, escreveram os pesquisadores o estudo.

Leia mais

“Em vez disso, a longo prazo, prevemos que os mais religiosos dominarão a terra. Isto é especialmente assim para o grupo religioso mais fértil – o Islã”.

O período medieval

A equipe observou também que durante todo o período medieval, as pessoas não associavam a religião à contracepção – uma vez que não tinham a educação ou os meios para produzi-la.

“Como resultado, parece seguro supor que durante todo o período medieval, as taxas de fertilidade entre os altamente religiosos e os minimamente religiosos eram pequenas”.

Opinião Notícia Alternativa:

Está claro que foi uma pesquisa realizada dentro dos padrões aceitos pela comunidade científica, tanto é que foi publicada em uma revista com grau de relevância significativo. Entretanto acreditamos que diversos fatores correspondem para o aumento ou diminuição do número de ateus no mundo e a pesquisa abordou apenas um dos fatores, o reprodutivo, e isso deixa aberto diversas lacunas e impossibilitando maiores conclusões.

Fonte: Daily Mail