Asteróide (1998 OR2) passará próximo da Terra – Saiba como assistir!

0 326

Há um asteróide, chamado 1998 OR2, se aproximando da Terra, mas não se preocupe ele fará um sobrevôo seguro. Isso não é nada incomum – o espaço próximo à Terra é bem movimentado.

Tanto o Projeto do Telescópio Virtual em Roma quanto o Observatório de Arecibo, no Chile, conseguiram visualizar o asteróide à medida que ele se torna mais brilhante em nossos céus. Ele viaja pelo espaço a cerca de 31.320 quilômetros por hora.

Não temos nada a temer com a aproximação do 1998 OR2. É relativamente grande, mas não chegará perto o suficiente para ameaçar a Terra. O asteróide foi descoberto em 1998, e os astrônomos o observaram cuidadosamente para calcular seu caminho orbital, que está projetado até o ano de 2197.

Este ano, 2020, marcará o sobrevôo mais próximo do asteróide em pelo menos um século. Ele passará inofensivamente a uma distância de 6,3 milhões de quilômetros. Isso é mais de 16 vezes a distância média entre a Terra e a Lua.

Confira mais notícias sobre ciência aqui!

Mas, por ser tão grande – estima-se que seja de cerca de 4,1 quilômetros de comprimento e 1,8 quilômetros de largura é extraordinariamente brilhante.

Portanto, é um dos maiores e mais brilhantes asteróides da Terra, e quando passar próximo de nós no dia 29 de abril – a periapsia, ou sua órbita mais próxima, será por volta das 09:56 GMT – astrônomos podem até vê-lo com telescópios menores.

É classificado como um asteróide ‘potencialmente perigoso’, porque todos os asteróides acima de um certo tamanho (140 metros) e a uma certa distância da Terra (7.480.000 quilômetros ou 4.650.000 milhas) são automaticamente classificados como tal.

Mas as projeções para o 1998 OR2 não indicam nenhum tipo de colisão em nosso futuro. A próxima vez que chegar perto da Terra será em 2079, quando oscilará a uma distância de 1,8 milhão de quilômetros. Isso é cerca de 4,6 vezes a distância lunar.

De fato, esse sobrevôo é muito legal

Isso permitirá que os astrônomos façam medições do asteróide para que possamos refinar nossas técnicas de estimativa de tamanho. Também podemos estudar o asteróide em si, para aprender mais sobre a composição dessas rochas espaciais.

Além disso, rastrear esses objetos nos ajuda a desenvolver medidas para defender a Terra contra asteróides que podem ser genuinamente perigosos.

Se você quiser tentar vislumbrar esse pedaço impressionante de rocha, o EarthSky tem instruções detalhadas sobre o equipamento de que você precisa e para onde olhar no céu.

Clique aqui para acessar o EarthSky.

Se você não estiver em um bom lugar ou não tem um telescópio, o Virtual Telescope Project estará transmitindo ao vivo o evento em seu site.

Fonte: Science Alert

Leia mais

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência AceitarLeia Mais