Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Zika pode infectar cérebro adulto

0 10

Um novo estudo mostra pela primeira vez que o vírus Zika pode infectar cérebro adulto em regiões que são vitais para a aprendizagem e memória.

 

As preocupações com o vírus Zika concentraram-se em mulheres grávidas. Isso se dá por causa das crescentes evidências de que ele provoca anormalidades cerebrais no desenvolvimento de fetos. No entanto, novas pesquisas em ratos de cientistas da Universidade Rockefeller e La Jolla Instituto de Alergia e Imunologia sugere que certas células do cérebro adulto podem ser vulneráveis ​​a infecção também. Entre elas estão as populações de células que servem para substituir neurônios perdidos ou danificados durante a vida adulta, e também são considerados críticos para a aprendizagem e memória.

“Este é o primeiro estudo a olhar para o efeito da infecção Zika no cérebro adulto”. Disse o Dr. Joseph Gleeson, professor adjunto da Rockefeller, chefe do Laboratório de Doenças Cérebro Pediátrica e Howard Hughes Medical Institute. “Com base em nossos resultados, adulto infectado pelo Zika pode não ser tão inócuo quanto as pessoas pensam.”

Mais pesquisas são necessárias. Principalmente para determinar se esse dano tem implicações biológicas a longo prazo ou se tem potencial de afetar o comportamento, os resultados sugerem a possibilidade de que o vírus Zika, difundido na América Central e do Sul ao longo dos últimos oito meses, pode ser mais prejudicial do que se acreditava anteriormente. As novas descobertas foram publicadas na revista Cell Stem Cell em 18 de agosto.

“Zika pode entrar claramente o cérebro dos adultos e pode causar estragos”. Disse a Dr. Sujan Shresta, professora da La Jolla Instituto de Alergia e Imunologia. “Mas é uma doença complexa. É catastrófico para o desenvolvimento inicial do cérebro. Mas a maioria dos adultos que estão infectados com Zika raramente apresentam sintomas detectáveis. ​​Seu efeito sobre o cérebro adulto pode ser mais sutil, e agora sabemos o que procurar”.

 

Fonte: Cell Stem Cell