Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Alta dose de vitamina B está associado com maior risco de câncer, diz pesquisa

0 349

Uma nova pesquisa sugere uma suplementação com altas doses de vitamina B6 e B12 – promovido pela indústria de vitaminas para aumentar a energia e melhorar o metabolismo – está associada a um aumento de duas a quatro vezes no risco de câncer em homens.

O risco foi aumentado em fumantes do sexo masculino levando mais de 20 mg de B6 ou 55 microgramas de B12 por dia durante 10 anos.

Os fumantes do sexo masculino que tomavam B6 a esta dose eram três vezes mais propensos a desenvolverem câncer de pulmão.

Os fumantes masculinos que tomavam B12 em tais doses eram aproximadamente quatro vezes mais propensos a desenvolverem a doença em comparação com não usuários.

Os epidemiologistas do Centro Compreensivo de Câncer da Universidade Estadual de Ohio – Dr. Arthur G. James Cancer Hospital e Dr. Richard J. Solove Research Institute (OSUCCC – James), Fred Hutchinson Cancer Research Center e National Taiwan University relatam suas descobertas na edição de 22 de agosto de 2017 do Journal of Clinical Oncology.

Este é o primeiro estudo prospectivo e observacional para analisar os efeitos do uso de suplementos B6 / B12 de alta dose a longo prazo e risco de câncer de pulmão. Por muito tempo creditava-se que esses suplementos reduziam o risco de câncer.

O estudo

Para este estudo, a equipe analisou dados de mais de 77.000 pacientes participantes do estudo de coalizão VITamins And Lifestyle (VITAL), um estudo prospectivo de longo prazo destinado a avaliar vitaminas e outros minerais suplementares em relação ao risco de câncer.

Todos os participantes tinham entre 50 e 76 anos e foram recrutados no estado de Washington entre os anos 2000 e 2002.

Ao se matricularem no estudo, os participantes relataram informações aos pesquisadores sobre o uso de vitamina B nos últimos 10 anos.

Para esta nova análise, os pesquisadores usaram técnicas estatísticas para se ajustarem a vários fatores, incluindo: histórico de tabagismo pessoal, idade, raça, educação, tamanho corporal, consumo de álcool, história pessoal de câncer ou doença pulmonar crônica, história familiar de câncer de pulmão e uso de drogas anti-inflamatórias.

“Nossos dados mostram que tomar altas doses de B6 e B12 durante um período de tempo muito longo poderia contribuir para taxas de incidência de câncer de pulmão em fumantes do sexo masculino. Esta é certamente uma preocupação digna de avaliação adicional”.

Brasky observa que estas descobertas se relacionam com doses que estão bem acima daqueles que tomam multivitamínicos todos os dias durante 10 anos.

“Estas são doses que só podem ser obtidas a partir de doses elevadas de vitamina B e estes suplementos são muitas vezes a dieta diária recomendada nos EUA”, afirmou.

Fonte: Eurekalert