Gigantes farmacêuticas se unem para desenvolver vacina contra coronavírus

0 246

A gigante empresa farmacêutica francesa Sanofi disse hoje que planeja usar a tecnologia da GlaxoSmithKline para acelerar o desenvolvimento de sua vacina contra coronavírus SARS-CoV-2.

A Sanofi e a GSK disseram em comunicado que a vacina estará pronta para começar os testes em seres humanos no segundo semestre de 2020 e que eles pretendem concluir todo o trabalho necessário para solicitar aprovação regulatória até o segundo semestre de 2021.

A nova vacina combinará uma tecnologia de vacina que a Sanofi atualmente usa para fabricar uma vacina contra a gripe, o FluBlok, com o adjuvante da GlaxoSmithKline, um aditivo que aumenta a potência das vacinas, aumentando a probabilidade de serem eficazes e fáceis de fabricar em grandes quantidades.

Ao contrário da maioria das vacinas contra a gripe, fabricadas em ovos de galinha, a vacina FluBlok é feita usando um vírus geneticamente modificado em culturas de células de uma lagarta de mariposa.

As células são usadas para produzir uma proteína idêntica a uma na superfície do vírus, que o sistema imunológico aprende a reconhecer e atacar.

A Food and Drug Administration aprovou a vacina FluBlok em 2013. A Sanofi comprou a Protein Sciences, que desenvolveu a vacina, por US$ 750 milhões em 2017.

Vacina contra SARS-CoV-2

O trabalho da Sanofi em uma vacina contra coronavírus está sendo financiado por meio de uma colaboração com a Autoridade Biomédica de Pesquisa e Desenvolvimento Avançado (BARDA), uma agência que faz parte do departamento federal de saúde.

As empresas planejam entrar em contato com outros governos e instituições globais sobre o acesso ao financiamento.

Sanofi e GSK estão entre muitas empresas que correm para desenvolver uma vacina contra o Covid-19.

Existem pelo menos 79 vacinas em vários estágios dos testes iniciais, de acordo com o Milken Institute. O tratamento Covid-19 e rastreador de vacinas do instituto mostra que apenas três deles estão sendo testados em seres humanos até agora: um da empresa de biotecnologia Moderna, um da empresa de biotecnologia Inovio e um da Cansino Biologics da China.

A Pfizer e a BioNTech estão planejando iniciar um estudo de sua própria vacina, que é semelhante à Moderna, neste mês. Muitas das vacinas em desenvolvimento usam tecnologias que, diferentemente da Sanofi, não foram usadas anteriormente em uma vacina aprovada.

As vacinas que iniciam os ensaios clínicos são bem-sucedidas cerca de um terço das vezes – uma taxa de sucesso mais alta do que a observada em muitos outros tipos de medicamentos, de acordo com um artigo de 2017.

Embora as autoridades de saúde pública tenham expressado esperança de que uma vacina Covid-19 possa ser desenvolvida em dezoito meses, o processo de teste de uma vacina geralmente leva anos.

As empresas disseram estar comprometidas em fabricar qualquer vacina que seja acessível ao público e disponível por meio de mecanismos que ofereçam acesso a pessoas em todos os países.

Fonte: STAT NEWS

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência AceitarLeia Mais