Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Pesquisa descobre porque a tuberculose russa é mais infecciosa

0 25

Até o século 20, a tuberculose foi considerado uma doença incurável. Apesar de métodos recém desenvolvidos de curá-la em seus estágios iniciais. A taxa de mortalidade ainda é alta, mas a tuberculose russa é quatro vezes mais infecciosa que no resto do mundo.

Tuberculose russa. É importante notar que o termo “tuberculose” cobre uma vasta gama de cepas de bactérias que causam a doença. Estirpes da família Beijing (este genótipo foi descoberto pela primeira vez em Pequim) são predominantes na Rússia. A cada ano cerca de 150.000 pessoas estão infectadas com ele.

tuberculose russa
Até o século 20, a tuberculose foi considerado uma doença incurável.

Para entender a razão por trás do “sucesso” desta estirpe, cientistas compararam proteínas produzidas por Pequim B0/W148 com uma estirpe controle. Proteínas bacterianas, foram separados enzimaticamente clivada em fragmentos menores e comparados por espectrometria de massa.

Após análise dos dados coletados, os cientistas sabiam quais e quantas proteínas havia em cada linhagem. Verificou-se que em Pequim B0/ W148, 266 proteínas foram abundante diferetes quando comparada com a estirpe de controle.

Analisando as funções associadas com diferentes proteínas revelou que na estirpe Pequim B0/W148 contém várias proteínas que produzem ácidos gordos de cadeia longa e menos proteínas destruindo-as.

As bactérias usam esses ácidos para produzir ácidos micólicos. Eles se integram na membrana celular bacteriana e tornam-a mais cerosa, por isso as bactérias podem sobreviver e até mesmo reproduzir-se em macrófagos (células humanos especiais que destroem substâncias estranhas).

Normalmente, se uma bactéria é “comidA” por um macrófago ela morre. No entanto, cepas de Mycobacterium tuberculosis evoluíram para reproduzir em macrófagos e assim se  escondem do sistema imunológico.

Ácidos micólicos não só protegem as bactérias, mas também desempenham um papel crucial. Essa substância inibem macrófagos para que eles parar de lutar contra a doença. As características do metabolismo lipídico que foram descobertos poderia explicar o sucesso de Pequim B0/W148 em relação a outras micobactérias da tuberculose.

 

Fonte: Scientific Reports