Descoberta nova droga para tratamento de melanoma

0 28

Encontrar tratamentos mais eficazes e personalizados para o câncer é o desafio de muitos pesquisadores. Um desafio que foi cumprida com sucesso por uma equipe do Inserm que acaba de sintetizar e desenvolver novas drogas para o tratamento de melanoma. Um deles, conhecido como HA15, reduz a viabilidade das células de melanoma, sem ser tóxico para as células normais. Este trabalho acaba de ser publicado no periódico Cancer Cell.

Melanoma é uma forma altamente agressiva de câncer de pele. Afeta melanócitos, as células responsáveis pela síntese de melanina, o que dá a sua cor pele. Existem 3 fases da progressão do tumor: crescimento radial, nas quais as células proliferam de forma desordenada na epiderme, a fase de crescimento vertical, que envolve a invasão da derme, e finalmente a fase metastático, o que corresponde à difusão das células cancerosas nos tecidos periféricos.

tratamento de melanoma
Camadas da pele

Embora os resultados encorajadores foram obtidos para o tratamento da fase metastático (utilizando terapias ou imunoterapias específicas), a maioria dos pacientes necessitam de tratamentos adicionais para evitar que o tumor volte, e para impedir mais metástases de desenvolvimento. A identificação de candidatos a novos fármacos é, portanto, um elemento inevitável para o estabelecimento de bioterapias eficazes contra esse tipo de câncer, cuja incidência dobra a cada dez anos.

Neste contexto, os pesquisadores de Nice descobriram uma nova família de drogas, o Thiazole Benzensulfonamides (TZB), que possuem propriedades anticancerígenas úteis. “Inicialmente, esta família de drogas foi identificada em diabetes tipo 2, uma vez que aumentou a sensibilidade das células à insulina. Para usá-la no tratamento de melanoma, nós tivemos que ser capaz de eliminar essa atividade pró-insulina”, explica Stéphane Rocchi. “Assim que começamos a modificar sua estrutura.”

Depois de muitas tentativas, a estrutura inicial TZD foi extensivamente modificado graças a uma colaboração frutuosa com a equipe do Dr. Benhida do Instituto de Nice de Química, para se obter uma formulação em que o “composto de chumbo” foi chamado HA15.

Fonte: Cancer Cell

Leia mais

Comentários

Loading...