Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Novos secadores de mãos podem ser perigosos

0 45

Secadores de mãos como este da foto abaixo estão se tornando uma visão familiar nos banheiros em todo o mundo.

Você insere as mãos molhadas entre as lâminas de ar, uma rajada de ar sai, e você puxa lentamente as mãos para cima e para fora através do ar. Em um mundo onde quase tudo é coberto com todos os tipos de bactérias, esses secadores parece ser uma boa maneira de evitar superfícies cheias de germes.

No entanto, um novo estudo sugere que estes secadores podem espalhar-se uma série de vírus. Patrick Kimmitt e Keith Redway da Universidade de Westminster olhou para três métodos de secar as mãos: o Airblade, um secador de ar quente padrão, e toalhas de papel. Os participantes no estudo usavam luvas cobertas de um vírus chamado MS2, que age de forma semelhante ao norovirus – é o principal causador de gastroenterite em adultos.

Os participantes então utilizando um dos métodos para secar as mãos e os pesquisadores montaram placas nas proximidades para pegar qualquer micróbios no ar. As placas foram revestidas com E. coli, que é morta quando em contacto com o vírus MS2. Obviamente os investigadores foram à procura de: “zonas mortas” sobre estas placas.

secadores de mãos
Secadores Airblade

Os secadores de ar Airblade consistentemente resultou em mais zonas mortas – e também à distâncias maiores do equipamento, publicado no Journal of Applied Microbiology.

Os secadores de mãos do tipo Airblades disseminou 60 vezes mais que o secador padrão e 1.300 vezes mais do que as toalhas de papel. Em termos de distância, o secador airblade tende a espalhar o vírus MS2 cerca de 0,25 metros de distância, mas os investigadores encontraram traços do vírus em até 3 metros de distância.

Então, talvez da próxima vez, procure pelas toalhas de papel.

Fonte: Journal of Applied Microbiology