Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Resultado da fosfoetanolamina – Pesquisa mostra aumento de tumor mamário.

0 23

O estudo publicado em 1979 pela PNAS mostra o primeiro resultado da fosfoetanolamina. 

Resultado da fosfoetanolamina publicado em 1979 pela PNSA identificou que a substância estimula o crescimento da linhagem celular de carcinoma mamário em ratos. O estudo elucidou as características de crescimento da linhagem celular 64-24, que foram isolada a partir de um tumor altamente dependente de hormônios e que retém na cultura laboratorial as mesmas características do tumor original.

Anteriormente, extrato da glândula pituitária de bovinos mostrou conter uma quantidade significativa de estimulação de crescimento para estas células, e um fator de crescimento a partir deste extrato foi purificado até à homogeneidade. Este trabalho descreveu e identificou o fator de crescimento como a fosfoetanolamina.

Além disso, a atividade biológica de fosfoetanolamina verificou-se ser praticamente idêntico à do fator de crescimento purificado. Um papel possível de fosfoetanolamina no crescimento de células tumorais mamarias, bem como de células epiteliais mamarias normais e outros tecidos é discutido.

Fosfoetanolamina:

A fosforiletanolamina ou fosfoetanolamina é um composto químico orgânico presente naturalmente no organismo de diversos mamíferos. Ela ajuda a formar uma classe especial de lipídeos, os esfingolipídeos, moléculas que participam da composição estrutural das membranas das células e das mitocôndrias. Do ponto de vista bioquímico, trata-se de uma amina primária envolvida na biossíntese de lipídeos. Além dessa função estrutural de formar a membrana celular, ela possui ainda uma função sinalizadora, ou seja, a fosfoetanolamina informa o organismo de algumas situações que as células estão passando.

No Brasil, uma versão artificial da fosfoetanolamina começou a ser sintetizada pelo químico Gilberto Chierice, então professor doInstituto de Química de São Carlos (IQSC) no final da década de 1980. Após relatos de que essa fosfoetanolamina teria propriedades medicinais capazes de combater alguns tipos de tumores, pacientes acometidos pela doença e seus familiares têm obtido liminares na justiça para conseguir acesso às cápsulas produzidas pelo IQSC. Em março de 2016 a USP denunciou Chierice por curandeirismo.

Fonte/Artigo científico: ncbi.gov