Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Atenção: Não recompense seus filhos com alimentos

0 9

Pais devem ser avisados: recompensar filhos com alimentos pode conduzi-los a se tornarem comedores emocionais.

De acordo com pesquisadores do Reino Unido, recompensar filhos com alimentos pode involuntariamente ensiná-los a recorrer à comida quando eles estão tentando lidar com suas emoções.

Eles olharam para diferentes práticas de alimentação utilizadas pelos pais com crianças de três a cinco anos de idade. As crianças foram, em seguida, analisadas quando tinham entre cinco e sete anos para ver se estas práticas iniciais desenvolveram a chamada “emotional eating” ou seja, comer pela emoção.

Os pesquisadores fizeram isso olhando para a probabilidade entre as crianças comerem salgadinhos ou brincarem com os brinquedos quando não estavam com fome, mas sim levemente estressados.

O estudo descobriu que crianças com idades entre cinco e sete eram muito mais propensos ao “emotional eating” se seus pais usaram comida como recompensa, ou eles foram muito controlando com os alimentos quando as crianças eram mais jovens.

“Como pais, muitas vezes há um instinto natural para tentar proteger nossas crianças de comer alimentos “maus “- aqueles ricos em gordura, açúcar ou sal. Entretanto, usamos frequentemente estes tipos de alimentos como um deleite ou uma recompensa, ou mesmo como uma resposta para aliviar a dor, se as crianças estão chateadas.”

“A evidência da nossa pesquisa inicial mostra que, ao fazer isso, podemos ensinar as crianças a usar esses alimentos para lidar com suas emoções diferentes, e por sua vez involuntariamente ensinando-os a comer emocionalmente”, explicou o Dr. Claire Farrow da Aston University .

Ela apontou que, como a obesidade é um problema tão preocupante de saúde pública, entender por que algumas pessoas se voltam para determinados alimentos em determinados momentos de ansiedade ou estresse poderia incentivar melhores práticas alimentares.

Ela observou que, muitas vezes, quando as pessoas comem devido ao emocional, estão consumindo alto teor calórico, alto teor de gordura, alimentos altamente energéticos que não vai beneficiar a sua saúde.

“Sabemos que, em adultos o comer emocional está ligado a transtornos alimentares e obesidade, por isso, se podemos aprender mais sobre o desenvolvimento do comer emocional na infância, podemos esperamos desenvolver recursos e conselhos para ajudar a evitar isso”, acrescentou.

Fonte: Irish Health