Por que soluçamos? Pesquisa descobre função do soluço

0 232

Por que soluçamos? Embora os soluços pareçam um incômodo, os cientistas descobriram que eles podem desempenhar um papel crucial em nosso desenvolvimento – ajudando os bebês a regularem sua respiração.

Em um estudo liderado pela University College London (UCL), pesquisadores monitoraram 13 recém-nascidos e descobriram que o soluço desencadeou uma grande onda de sinais cerebrais que poderiam ajudar no desenvolvimento.

Dr. Lorenzo Fabrizi, autor do estudo, afirmou em comunicado que essa atividade cerebral pode ajudar os bebês “a aprender a monitorar os músculos respiratórios, levando a uma capacidade de controlar a respiração voluntariamente”.

Ele acrescentou: “Quando nascemos, os circuitos que processam as sensações corporais não são totalmente desenvolvidos; portanto, o estabelecimento de tais redes é um marco crucial no desenvolvimento dos recém-nascidos”.

Como os bebês envolvidos no estudo eram pré-termo e a termo, variando de 30 a 42 semanas de idade gestacional, os cientistas acreditam que esse desenvolvimento pode ser típico do último trimestre da gravidez.

Segundo os pesquisadores, fetos e recém-nascidos frequentemente soluçam.
O fenômeno é observado logo após as nove semanas de gravidez e os bebês prematuros – aqueles que nasceram pelo menos três semanas prematuramente – passam aproximadamente 15 minutos soluçando todos os dias.

O estudo: Por que soluçamos?

Os recém-nascidos pré-termo e a termo envolvidos no estudo tiveram eletrodos colocados no couro cabeludo e sensores no torso para monitorar soluços.

Os cientistas descobriram que as contrações nos diafragmas dos bebês produzem três ondas cerebrais e acreditam que, através da terceira onda cerebral, os bebês poderão vincular o som ‘hic’ do soluço à contração física que sentem.

Dra. Kimberley Whitehead, principal autora do estudo, disse à CNN: “A contração muscular de um soluço é bastante forte – é boa para o cérebro em desenvolvimento porque de repente dá um grande impulso de entrada, o que ajuda as células cerebrais a se conectarem para representar essa parte do corpo em particular “.

Ela acrescentou que os soluços não têm vantagem conhecida para os adultos e sugeriu que eles poderiam ser um exemplo de “resquício de períodos iniciais de nossa vida que persiste até a vida adulta”.

Leia mais

Os mesmos pesquisadores teorizaram anteriormente que os chutes de um bebê no útero podem ajudá-lo a criar um mapa mental de seu próprio corpo.

Suas novas descobertas podem mostrar o mesmo processo ocorrendo dessa vez com o soluço.

Fonte: CNN

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More