Mulher com pêlos na gengiva intriga cientistas – Fotos!

0 64

De vez em quando, todos nós precisamos arrancar pêlos estranhos que cresceram fora do lugar. Mas ter pêlos na gengiva não é algo muito comum.

Há pouco mais de 10 anos, uma mulher de 19 anos se encontrou com médicos na Universidade da Campânia Luigi Vanvitelli, na Itália, apresentando um caso raro do que é conhecido na área médica como hirsutismo gengival.

“Em 2009, relatamos o caso de uma jovem que apresentava cabelos no epitélio sulcular da papila palatina retroincisiva”, relataram os especialistas em seu estudo de caso, publicado em agosto de 2019.

Para traduzir, eles encontraram uma dispersão de pêlos semelhantes a cílios projetando-se dos tecidos moles diretamente atrás de seus dentes frontais superiores.

Uma pesquisa na literatura revelou apenas cinco outros casos semelhantes – todos homens – que datam da década de 1960.

pêlos na gengiva

É impossível saber quantos sofreram com essa condição ao longo da história. Com tão poucos exemplos registrados, os médicos têm dificuldade em descobrir por que isso acontece.

Nesse caso, os patologistas foram rápidos em encontrar uma pista potencial. Testes hormonais e ultra-sonografias levaram ao diagnóstico de síndrome dos ovários policísticos (SOP), uma condição reprodutiva ligada a desequilíbrios hormonais.

O ‘hirsutismo’ – ou excesso de cabelo – é uma consequência comum desse desequilíbrio, mas esse crescimento atípico geralmente se restringe a partes do corpo que já germinam folículos, como rosto, tronco e membros.

Nesse caso, os cabelos eram ectópicos, o que significa que estavam crescendo fora do lugar. Portanto, embora a SOP possa não ter sido a causa, é quase certo que exacerbou a situação.

Os pêlos foram removidos cirurgicamente e, após um curso de anticoncepcionais orais para ajudar a resolver o desequilíbrio dos hormônios, a paciente voltou a uma vida sem pelos na boca. Por um tempo, pelo menos.

A volta dos pêlos

Seis anos depois, o paciente não identificado voltou à clínica. Tendo interrompido a medicação hormonal, seu hirsutismo gengival havia retornado.

Desta vez, a equipe médica não apenas removeu os cabelos; eles aproveitaram a oportunidade para pegar uma pequena seção de tecido para uma olhada mais de perto no microscópio, encontrando uma haste de cabelo abrindo caminho através de tecidos estranhamente espessos de suas gengivas.

Um ano depois, sua condição havia piorado, com pêlos surgindo de ainda mais áreas ao redor de sua boca.

Embora seja difícil dizer com certeza, os pesquisadores sugerem que, como os tecidos da mucosa dentro da boca estão intimamente relacionados aos tecidos que formam nossa pele enquanto somos embriões, não é difícil imaginar como as células ciliadas podem ser ativadas em teoria.

Eles continuam a apontar que as glândulas produtoras de óleo de nossa pele externa comumente crescem dentro da boca, levando a uma condição chamada grânulos de Fordyce.

Por que alguns tipos de tecido crescem fora do lugar e outros não, é uma incógnita.

O estudo de caso foi publicado aqui.

Deixe um comentário

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência AceitarLeia Mais