Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Partícula Majorana: descoberta que pode revolucionar os computadores

0 354

Cientistas fizeram um grande avanço depois de descobrirem uma “partícula angelical” que tem sido teorizada há cerca de 80 anos e pode levar a uma revolução tecnológica.

Cientistas acreditam que no início do universo, o Big Bang criou partes iguais de matéria e anti-matéria.

Se os conjuntos de matéria se encontrarem, como as partículas vêm em pares, então elas se aniquilariam em uma explosão de energia.

Mas, há 80 anos atrás, em 1937, o físico teórico italiano Ettore Majorana teorizou que existe outra classe de partículas conhecidas como fermiões – uma que é tanto matéria como anti-matéria.

A descoberta poderia ter enormes implicações no mundo da tecnologia, especialmente dentro de computadores quânticos que têm o potencial de ser centenas de milhões de vezes mais poderosos do que um computador normal.

Testes iniciais no Google e no sistema de computação quântica da Nasa, D-Wave, mostraram que foi um escalonamento cem milhões de vezes mais rápido que um desktop tradicional.

Dr. Hartmut Nevan, diretor de engenharia do Google, afirmou: “O que um D-Wave faz em um segundo levaria um computador convencional 10 mil anos para fazer”.

No entanto, o progresso em um computador quântico atingiu um tipo de argumento – em termos simples, os bits que carregam informações devem ser isolados do ruído que até agora foi difícil de alcançar.

Mas, no que está sendo descrito como “um marco”, os físicos descobriram uma partícula conhecida como a partícula de Majorana, que é tanto matéria como anti-matéria, e poderia tornar esses computadores à disposição do público no futuro próximo.

Isso ocorre porque a informação pode, teoricamente, ser separada no férmio de Majorana, o que significa que sempre pode ser mantido seguro (isolado de ruídos) levando a computadores insanamente rápidos.

A partícula de Majorana

Leia mais

Oficialmente conhecida como a partícula de Majorana, também foi apelidada de “partícula Angelical” após o livro de Dan Brown, Anjos e Demônios, na qual eles criam uma bomba de uma combinação de matéria e anti-matéria.

O físico da Universidade de Standford, Professor Dr. Shoucheng Zhang, disse: “Nossa equipe previu exatamente onde encontrar o férmio Majorana e o que procurar como sua assinatura experimental”.

“Esta descoberta conclui uma das pesquisas mais intensivas em física fundamental, que durou exatamente 80 anos”.

partícula majorana
Computadores quânticos podem ser até 100 milhões de vezes mais rápidos que os convencionais atuais.

O professor Dr. Frank Wilczek, físico teórico do Massachusetts Institute of Technology, acrescentou: “Parece ser uma observação realmente limpa de algo novo.”

“Não é fundamentalmente surpreendente, porque os físicos pensaram há muito tempo que as partículas de Majorana poderiam surgir dos tipos de materiais utilizados nesta experiência.”

“Mas eles reuniram vários elementos que nunca antes foram reunidos, e as coisas de engenharia assim que esse novo tipo de partícula quântica pode ser observada de maneira limpa e robusta é um marco real”.

Fonte: Express.co.uk