Porque alguns pacientes curados voltam a testar positivo para coronavírus?

0 255

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou no sábado que está investigando relatos de pacientes curados que voltaram a apresentar coronavírus em testes dias depois.

“Estamos cientes desses relatos de indivíduos que testaram negativo para COVID-19 usando o teste de PCR (reação em cadeia da polimerase) e depois de alguns dias testaram positivo novamente”, disse um porta-voz da OMS à Reuters.

Na sexta-feira, a Coréia do Sul informou que 91 pacientes com coronavírus que eles acreditavam ter se recuperado da doença apresentaram resultado positivo para o vírus novamente.

As diretrizes da OMS sobre gerenciamento clínico recomendaram que um paciente com COVID-19 recuperado clinicamente apresentasse teste negativo para o vírus duas vezes, com testes realizados com pelo menos 24 horas de intervalo, antes de receber alta do hospital.

Os pacientes COVID-19 na Coréia do Sul estavam para receber alta após testes negativos para a doença. No entanto, os testes administrados posteriormente mostraram resultados positivos.

Autoridades de saúde sul-coreanas disseram que iniciariam investigações epidemiológicas para determinar o que está por trás da tendência.

O Dr. Jeong Eun-kyeong, diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças da Coréia, disse em uma coletiva de imprensa que o vírus pode ter se “reativado” nos pacientes. Descartando a hipótese de de reinfecção, informou a Bloomberg.

“Enquanto estamos colocando mais peso na reativação como a possível causa, estamos realizando um estudo abrangente sobre isso”, disse Jeong na segunda-feira.

“Houveram muitos casos em que o paciente durante o tratamento testou negativo um dia e positivo outro”.

O número de pacientes curados do coronavírus, mas mais tarde testados positivos, saltou de 51 na segunda-feira para 91 na sexta-feira. Logo depois, a OMS anunciou que também estaria analisando a recente tendência do COVID-19 na Coréia do Sul.

Os estudos atuais e o que diz a OMS

“Estamos em estreita ligação com nossos especialistas clínicos e trabalhando duro para obter mais informações sobre esses casos individuais. É importante garantir que, quando as amostras sejam coletadas para testes em pacientes suspeitos, os procedimentos sejam seguidos adequadamente”, disse um porta-voz da OMS à Reuters em um comunicado.

Segundo a OMS, estudos atuais mostram que pacientes com sintomas leves de COVID-19 experimentam um período de cerca de duas semanas entre o início dos sintomas e a recuperação clínica. Mas ainda não está claro por que esses pacientes estão testando positivo depois que se recuperaram do COVID-19.

“Como o COVID-19 é uma doença nova, precisamos de mais dados epidemiológicos para tirar conclusões”, acrescentou o comunicado.

Mais de 390.000 pessoas em todo o mundo se recuperaram do coronavírus. De acordo com os dados mais atuais divulgados pelo instituto John Hopkins.

Especialistas em doenças infecciosas, incluindo o Dr. Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, acreditam que “as pessoas que se recuperam [do COVID-19] estão realmente protegidas contra a re-infecção”.

As pessoas que foram infectadas desenvolvem anticorpos que “provavelmente podem combater o coronavírus se o encontrarem novamente”, tornando-os temporariamente imunes ao coronavírus, segundo Dr. Morgan McFall-Johnsen, disse a Business Insider. No entanto, não está claro quanto tempo dura a proteção, acrescentou.

Recentemente, Dr. Anthony Fauci disse que as pessoas que se recuperam do coronavírus provavelmente estarão imunes se uma segunda onda de infecção se espalhar no início do outono.

Leia mais

Apesar disso ser animador existe um porém. Estudos preliminares sobre a imunidade ao coronavírus mostram que nem todos os pacientes curados desenvolvem os anticorpos necessários para os protegerem de uma nova infecção de coronavírus.

Este artigo foi publicado originalmente por Business Insider.

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência AceitarLeia Mais