Uma segunda onda de coronavírus pode atingir a China

0 402

Hoje cedo, a Comissão Nacional de Saúde da China informou que nenhum novo caso transmitido domesticamente de coronavírus ocorreu no país na quarta-feira, 18 de março.

Isso marca a primeira vez que esse número é zero na China desde que a epidemia começou em dezembro. No entanto, a ameaça de infecção pode não ter acabado para o país. Isso pois 34 novos casos entre as pessoas que retornaram recentemente à China também foram relatados.

Fora de Wuhan, o epicentro do surto, na província de Hubei, na China, nenhum novo caso doméstico foi registrado por 13 dias consecutivos. O aumento no número de casos na cidade de Wuhan permaneceu em números únicos na última semana, até finalmente cair para zero ontem.

Isso significava que, em 18 de março, em todo o território chinês, o aumento nas transmissões domésticas havia sido reduzido a zero.

Esses números contrastam fortemente com os de um mês atrás, onde vários milhares de novos casos eram confirmados todos os dias.

Em Huanggang, uma cidade vizinha de Wuhan, que em um momento teve o segundo maior número de casos confirmados, outros avanços foram feitos, já que ontem houve alta nos últimos dois pacientes com COVID-19.

Desde que o surto começou no final de dezembro do ano passado, a Comissão Nacional de Saúde da China disse ter recebido 80.928 casos confirmados, incluindo 3.245 mortes e 70.420 pacientes curados e com alta hospitalar.

A segunda onda de coronavírus

Para várias cidades na China que estão em quarentena desde 23 de janeiro, as notícias dos casos reduzidos de transmissão doméstica levaram a um aumento parcial da quarentena em massa, permitindo que os residentes em áreas de menor risco deixem a província de Hubei para trabalhar, de acordo com a Bloomberg .

À medida que essas medidas são suspensas, os especialistas alertam que a doença pode ter uma segunda onda. Tendo infectado menos de 1% da população em sua primeira onda, a maioria das pessoas na China ainda é suscetível à doença.

Uma ameaça mais imediata para uma segunda onda de coronavírus na China vem de “casos importados”. Tendo visto 34 novos casos importados na quarta-feira, o continente chinês registrou um total de 189 casos confirmados trazidos do exterior.

“Vai continuar preocupando. O vírus ainda está por aí ”, disse Dr. Michael Osterholm, diretor do Centro de Pesquisa e Política de Doenças Infecciosas da Universidade de Minnesota, à Bloomberg.

Fonte: IFLS

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência AceitarLeia Mais