Mycobacterium chimaera – A bactéria que infectou e matou dezenas de pacientes no mundo

0 31

Em 2012, uma bactéria misteriosa começou a surgir em uma pequena porcentagem de pacientes que tinham passado recentemente por cirurgias no coração.

Dentro de 3 anos, Mycobacterium chimaera – um primo distante do patógeno que causa tuberculose – infectou pelo menos 49 pessoas ao redor do mundo e matou mais da metade delas.

Os cientistas eventualmente investigaram se os equipamento médico estavam contaminados durante a cirurgia cardíaca. Mas não ficou claro como o M. chimaera poderia ter contaminado o equipamento.

Agora, um novo estudo conclui que as infecções provavelmente se originaram do local de produção do dispositivo na Alemanha.

“Isso parece um caso de investigação”, diz Jack Gilbert, um ecologista microbiano da Universidade de Chicago, Illinois, que não estava envolvido com o estudo. “É um trabalho fascinante, [e os autores possuem] uma habilidade forense única para rastrear infecções de uma fonte pontual”.

O fabricante do dispositivo médico, LivaNova, com sede em Londres, no entanto, negou que seu instrumento seja a fonte das infecções e atualmente está se defendendo contra ações judiciais de pacientes e famílias de pacientes que morreram.

Em uma declaração fornecida à Science, a empresa argumenta que o novo estudo desenha um vínculo muito forte entre as infecções relatadas e seus equipamentos.

Leia mais

“A LivaNova está preocupada com o fato de o artigo expressar um certo grau de certeza sobre um vínculo pontual ao processo de fabricação que os dados não justificam”.

Mycobacterium chimaera

M. chimaera é comumente encontrado no solo e na água.

Embora os médicos tenham relatado infecções pulmonares ocasionais relacionadas à bactéria, não foi considerada uma ameaça à saúde pública até que começou a surgir em pessoas há 5 anos.

Uma vez que entra no coração, ele inflama o revestimento interno do órgão e se espalha para outras partes do corpo.

É resistente à maioria dos antibióticos e frequentemente fatal.

“A maioria dos pacientes que identificamos já morreu”, diz o microbiologista Dr. Erik Böttger, da Universidade de Zurique, na Suíça, que faz parte de um novo estudo. “Há muito pouco que podemos fazer”.

Não está exatamente claro como a Mycobacterium chimaera se infiltrou nas salas limpas dentro das instalações de produção da LivaNova, mas a empresa emitiu procedimentos de limpeza para o dispositivo que eliminará a bactéria.

Fonte: Science

Comentários

Loading...