Herpes provoca megacólon tóxico – Entenda

0 15

Aqui está outra razão pela qual você realmente não quer desenvolver o herpes: Nova pesquisa mostra que o vírus infecta e mata os neurônios do cólon, levando a uma condição apocalíptica chamado megacólon tóxico. Essencialmente, isso significa que os músculos do trato digestivo não pode mais contrair.

O vírus herpes simplex 1 (HSV-1) é normalmente contraído através das células epiteliais da mucosa da boca ou dos órgãos genitais, a partir de onde ele infecta os neurônios do sistema nervoso periférico sensorial. Exatamente como se espalham para além deste ponto, a fim de produzir os diversos sintomas desagradáveis ​​associados com a doença que ainda são muito mal compreendidos.

megacólon tóxico
Vírus da herpes

Um dos sintomas é a constipação, com muitas pessoas que sofrem de herpes relatando dificuldades no banheiro. Para investigar este caso, os pesquisadores infectaram via vagina os camundongos com HSV-1, observando que cerca de um terço dos animais logo começaram a mostrar sinais de megacólon tóxico.

Depois de analisar os neurônios no sistema nervoso entérico dos ratos (ENS), que regula o sistema gastrointestinal, os pesquisadores descobriram que o vírus havia de fato se espalhado para estes neurônios nos ratos que tinham tornar-se constipado.

Relatando suas descobertas na revista Cell Host and Microbe, os autores do estudo explicam que esta infecção ativa um número de genes que normalmente funcionam para proteger o corpo contra patógenos através do recrutamento de um tipo de glóbulo branco chamado de neutrófilos para destruir o invasor ofensivo. No entanto, neste caso, parece que os neutrófilos, na verdade destruíram os neurônios do ENS, em vez de o próprio vírus.

Para confirmar isso, repetiram a experiência utilizando ratos que tinham sido geneticamente modificados para não produzir neutrófilos, e descobriram que estes animais não desenvolveram megacólon tóxico.

Leia mais

Exatamente como o vírus se espalha dos genitais para o cólon ainda não é conhecido, embora os autores do estudo propõem que ele pode viajar ao longo de certas células nervosas que ligam o geniturinário e tecidos intestinais.

Infelizmente para os ratos, a destruição dos neurônios em seus dois pontos era permanente, tornando a vida muito desconfortável para eles. No entanto, os pesquisadores acham que tratá-los com um laxante forte ajudou a restaurar seus movimentos, permitindo-lhes excretar suas fezes, sem a necessidade de um ENS funcionando.

Fonte: Cell Host and Microbe

Comentários

Loading...