Masturbação mata 100 alemães todo ano – Entenda o motivo!

0 876

A masturbação mata até 100 alemães por ano, de acordo com um estudo que também descobriu as estranhas maneiras pelas quais as pessoas morreram.

Um homem em Halle, Alemanha, foi encontrado morto com luzes de árvore de Natal apertadas em seus mamilos, aparentemente tentado estimular-se por eletrocussão.

O examinador forense Harald Voß disse que o motivo mais comum para mortes autoeroticas foi o desejo do orgasmo final através da privação do oxigênio.

Entre 80 e 100 pessoas em todo o país morrem acidentalmente todos os anos devido a práticas de masturbação arriscadas, descobriu o estudo.

Isto baseou-se em conclusões de que, para cada um milhão de cidadãos alemães, há “um ou dois” casos de mortes por ano em que um suporte ou dispositivo foi usado para estimulação extra durante a atividade sexual.

Em um exemplo, um homem foi encontrado sufocado na adega de sua casa em Hesse, tendo aparentemente amarrado correntes ao redor de seu corpo e pescoço.

De acordo com Bild, a pornografia estava presente e os pesquisadores fizeram a suposição de que ele havia sofrido uma morte auto-erótica.

O jornal The Local relata que o número de casos similares não relatados foi “extremamente alto”, mas que ele apenas lidou pessoalmente com cinco casos nas últimas três décadas.

Os casos às vezes não são relatados porque as famílias das vítimas se sentem envergonhadas, acrescentou.

A medicina legal em Hamburgo sozinha registrou 40 mortes autoeroticas acidentais entre 1983 e 2003 com todas as vítimas entre 13 e 79 anos, segundo relatórios locais.

As vítimas são geralmente homens, disse Voß, uma vez que as mulheres eram “mais cautelosas”.

Ele disse que os riscos envolvidos na atividade autoerotica foram subestimados, acrescentando: “Perder consciência pode acontecer mais rápido do que as pessoas pensam”.

Fonte: Daily Mail

Inscreva-se no Notícia Alternativa
Inscreva-se no Notícia Alternativa
Inscreva-se para receber mais notícias e atualizações
Você pode desativar quando quiser