Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

O estranho caso da macaca que comeu o cadáver do filhote – Fotos!

0 768

Um artigo surpreendente relatou o momento em que uma Macaca tonkeana comeu seu bebê morto e mumificado em um santuário de animais na Itália. Sim, é tão grosseiro quanto parece. Este artigo contém imagens fortes.

A macaca (espécie Macaca tonkeana) autora desse horrível ato, chamada Evalyne, reside no Parco Faunistico di Piano dell’Abatino na Itália.

Um artigo na revista Primates, liderado pela Dra. Arianna De Marco da Fondazione Ethoikos, observou o comportamento da mãe depois que seu recém-nascido morreu durante vários dias.

Os resultados foram chocantes.

Link 100% seguro

Primeiro, a macaca lamentou por dois dias, gritando contra seu próprio reflexo na porta de plástico do armário, antes de começar a preparar o cadáver do bebê morto.

“Apesar do odor notável do cadáver, ela preparou e lambeu-o regularmente, prestando atenção principalmente ao rosto”, escreveram os autores em seu artigo.

Após oito dias, o cadáver tornou-se mumificado – o que significa que havia secado. Seis dias depois, seu crânio caiu, mas Evalyne continuou a cuidar do cadáver, colocando-o na barriga e preparando-o. Ela frequentemente o carregava em uma mão ou em sua boca.

“O transporte prolongado seria um testemunho do apego da mãe ao bebê”, disse Dra. De Marco à IFLScience.

Então, as coisas ficaram realmente estranhas.

No dia 19, Evalyne foi visto pela primeira vez roendo a carne seca do cadáver e comendo partes dela.

Esta é a primeira vez que um Macaca tonkeana foi visto comendo seu bebê morto, embora a National Geographic observe que o comportamento foi visto pelo menos uma vez antes em espécies de macacos.

No dia 22, o cadáver do bebê se desintegrou completamente, embora Evalyne ainda mantivesse parte dos restos com ela na boca ou na mão na maioria das vezes.

A última vez que foi vista com parte do cadáver, possivelmente um osso do braço ou da perna, foi no 25º dia.

Os autores não sabem exatamente o que desencadeou esse comportamento, mas pode ter sido porque o recém-nascido viveu por alguns dias antes de morrer.

“O relacionamento mãe-prole é indiscutivelmente o vínculo social mais próximo em primatas, e esse cuidado pode ser visto como uma continuação do comportamento materno que resulta do estado hormonal da fêmea e/ou sua ligação com o bebê”, disse De Marco.

Isso não significa que os macacos tenham um conceito de morte, mas a falta de resposta do recém nascido depois de tê-lo visto vivo pode ter levado à angústia da mãe.

Ao apertar os dedos ou a língua na boca do bebê morto, a mãe pode estar tentando induzir uma resposta de amamentação.

Quanto a por que começou a comê-lo, isso é um mistério.

Mas é possível que, no momento em que o canibalismo começou, “a mãe perdeu qualquer representação clara do que os restos mumificados de seu bebê eram”.

Dra. De Marco disse que não era desconcertante assistir, mas sim “era tocante e interessante ao mesmo tempo”.

Veja as fotos:

Macaca tonkeana
Macaca tonkeana comendo os restos mortais do filhote.

Macaca tonkeana

 

Fonte: IFLS

Inscreva-se no Notícia Alternativa
Inscreva-se no Notícia Alternativa
Inscreva-se para receber mais notícias e atualizações
Você pode desativar quando quiser