Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

NASA admite um grande problema para levar homem a Marte – Saiba!

0 509

O plano da NASA para liderar uma missão tripulada para Marte na década de 2030 recebeu um balde de água fria. O motivo é financeiro.

A agência espacial dos EUA admitiu que não tem dinheiro suficiente para enviar humanos ao Planeta Vermelho.

Durante uma reunião do Instituto Americano de Aeronáutica e Astronáutica na quarta-feira, o chefe de vôo espacial humano da NASA, William Gerstenmaier, disse que não poderia colocar uma data na missão.

“Eu não posso colocar uma data em seres humanos em Marte, e a razão é que, nos níveis de orçamento que descrevemos, esse aumento de aproximadamente 2%, não temos os sistemas de superfície disponíveis para Marte”, disse ele, de acordo com Ars Technica.

“A entrada, a descida e o pouso são um enorme desafio para nós em Marte”.

O antigo chefe da NASA, Charles Bolden, disse anteriormente que a agência espacial estava na “trajetória certa” para levar humanos a Marte na década de 2030.

Gerstenmaier insinuou que a NASA pode olhar para retornar à Lua em vez disso, e falou de “realismo fiscal”.

“Se descobrimos que há água na Lua, e queremos fazer operações mais extensas na Lua para explorar isso, temos a capacidade com o Deep Space Gateway para suportar um extenso programa de superfície da Lua”, disse ele.

“Se queremos manter o foco mais em direção a Marte, podemos manter isso”.

A confissão embaraçosa ocorre poucos dias depois que o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, prometeu “inaugurar uma nova era” da liderança americana no espaço.

“Nossa nação retornará à lua e colocaremos botas americanas em Marte”, disse ele durante um discurso no Kennedy Space Center, na Flórida.

Leia mais

A nave espacial Orion da NASA, projetada para levar os humanos a Marte, estava programada para fazer seu primeiro voo para o espaço no próximo ano, mas a missão foi agora empurrada para 2019, devido a desafios de financiamento e agendamento.

Fonte: The Mirror