Descoberta mais uma super qualidade do grafeno – Entenda!

0 634

O grafeno acabou de adicionar outro distintivo à sua fama de supermaterial. Novas experiências mostram que esta camada única de átomos de carbono podem transportar até 1.000 vezes mais informações por segundo do que os materiais atuais.

O grafeno pode transformar sinais eletrônicos de frequências gigahertz em sinais terahertz de alta frequência.

As ondas eletromagnéticas na faixa de terahertz são notoriamente difíceis de criar, e as eletrônicas convencionais baseadas em silício têm dificuldade em lidar com esses sinais de alta frequência.

Mas os dispositivos baseados em grafeno poderão. Esses futuros aparelhos eletrônicos funcionariam muito mais rápido do que os dispositivos atuais, relatam os pesquisadores on-line na rervista Nature.

O físico Dr. Dmitry Turchinovich, da Universidade de Duisburg-Essen, na Alemanha, e seus colegas testaram a capacidade de produção de terahertz do grafeno injetando uma folha desse material com radiação de 300 gigahertz.

Quando essas ondas eletromagnéticas atingem o grafeno, os elétrons do material rapidamente aquecem e se resfriam, liberando ondas eletromagnéticas com frequências de até sete vezes mais altas que a radiação que chega.

“Este é mais um resultado surpreendente para o grafeno”, diz Dr. Orad Reshef, um físico da Universidade de Ottawa não envolvido no trabalho.

O material 2-D foi saudado como um supermaterial por suas habilidades extraordinárias, como a condução de corrente elétrica sem resistência.

O grafeno converteu mais de um milésimo, um décimo milésimo e um centésimo milésimo do sinal original de 300 gigahertz em ondas a 0,9, 1,5 e 2,1 terahertz, respectivamente. Essa taxa de conversão pode parecer pequena, mas é notavelmente alta para uma camada isolada de átomos, disse o Dr. Tsuneyuki Ozaki, físico do Instituto Nacional de Pesquisas Científicas da Cidade de Québec, que também não está envolvido no trabalho.

Componentes de computador baseados em grafeno podem lidar com terahertz “poderiam ser usados, não em um Mac ou PC normal, mas talvez em computadores muito avançados com altas taxas de processamento”, diz Dr. Ozaki.

Este material 2-D também pode ser usado para produzir nanodispositivos de velocidade extremamente alta, acrescenta.

Leia mais

Fonte: Science news