Novo antibiótico promete vencer a guerra contra gonorreia resistente

0 287

A Organização Mundial de Saúde (OMS) listou a bactéria causadora da gonorreia, Neisseria gonorrhoeae, resistente aos medicamentos, como uma infecção de alta prioridade que representa uma grande ameaça para a saúde humana.

Os pesquisadores observaram que os antibióticos tornaram-se menos eficazes contra certas bactérias, incluindo N. gonorrhoeae, em grande parte devido ao uso excessivo e uso indevido de antimicrobianos.

Algumas cepas resistentes de N. gonorrhoeae atualmente não são tratáveis ​​devido à falta de tratamentos alternativos, ressaltaram os pesquisadores na revista Antimicrobial Agents and Chemotherapy.

O padrão de tratamento recomendado pela OMS combina antibióticos ceftriaxona e azitromicina.

Mas, pela primeira vez, pesquisadores do Imperial College de Londres e da London School of Hygiene and Tropical Medicine testaram o novo antibiótico, clostiamida, em amostras de gonorreia no laboratório.

Os pesquisadores testaram 149 amostras de N. gonorrhoeae de pacientes hospitalares com infecções na garganta, uretra, colo do útero e reto.

Eles descobriram que, em quantidades muito baixas (0.125mg / L), a clostiamida foi efetiva contra 146 de 149 amostras retiradas de pacientes e contra todas as amostras fornecidas pela OMS, que eram conhecidas como resistentes a outros antibióticos.

Embora ainda não foi testada em animais e humanos, os pesquisadores disseram que o antibiótico poderia ser um novo e excitante passo na luta contra a doença.

O Dr. John Heap, principal autor, disse: “A ameaça iminente de doenças infecciosas resistentes aos antibióticos intratáveis, incluindo a gonorreia, é um problema global, para o qual precisamos urgentemente de novos antibióticos.

Leia mais

“Esta nova descoberta pode nos ajudar a assumir a liderança na corrida de armamentos contra a resistência antimicrobiana”, disse ele.

Dr. Heap ainda disse: “Nós acreditamos que há muitos antibióticos não descobertos por aí na natureza, mas são difíceis de encontrar e testar.”

Dra. Victoria Miari, pesquisadora principal da London School of Hygiene and Tropical Medicine, acrescentou: “Os resultados dos nossos estudos laboratoriais iniciais mostram que a clostiamida tem potencial para combater a N. gonorrhoeae.”

Fonte: Nursingtimes

Comentários

Loading...