Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Golfinhos selvagens possuem sistema imunológico mais fraco – Saiba o motivo

0 47

Os golfinhos selvagens estão expostos a mais poluentes do que os seus homólogos em cativeiros, o que poderia explicar por que eles enfrentam mais doenças.

Os poluentes no oceano estão enfraquecendo os sistemas imunológicos dos golfinhos selvagens, tornando-os mais susceptíveis aos vírus, bactérias e parasitas.

Menos da metade dos golfinhos selvagens estudados eram ‘clinicamente normais’, e muitos tinham sistema imunológico cronicamente ativado, sinalizando que estavam combatendo alguma doença.

O estudo, publicado na revista PLOS ONE, analisou a saúde de duas populações de golfinhos selvagens – uma na Flórida e outra na Carolina do Sul.

Eles foram comparados a duas populações de golfinhos de cativeiros na Geórgia e na Califórnia, que eram muito mais saudáveis ​​do que os selvagens.

“Isto é provavelmente um resultado do encontro de agentes patogênicos, parasitas e poluentes antropogênicos no oceano que não existem em habitats bem controlados”, disse a principal autora, a Dra. Patricia Fair, professora de investigação da Universidade Médica do Sul.

Nos seres humanos, este tipo de resposta imune crônica tem sido associada ao câncer, doenças cardíacas e maior vulnerabilidade às doenças infecciosas.

Co-autor do estudo Dr. Gregory Bossart, veterinário-chefe do Aquário da Geórgia, estuda a saúde de mais de 360 ​​golfinhos individuais vivendo em Indian River Lagoon, na Flórida e Charleston, Carolina do Sul desde 2003.

Desde então, ele e outros pesquisadores documentaram “doenças infecciosas emergentes, tumores, bactérias resistentes aos antibióticos e níveis alarmantemente altos de contaminantes em golfinhos de ambas as populações selvagens”, disse o estudo.

O motivo

Como predadores grandes, perto do topo da cadeia alimentar, os golfinhos acumulam todas as toxinas ingeridas por suas presas.

Leia mais

Estudos têm mostrado golfinhos na Indian River Lagoon têm altos níveis de mercúrio.

Pesquisas anteriores também mostraram evidências de doenças fúngicas nesses golfinhos, bem como novos vírus emergentes e agentes infecciosos, alguns dos quais também são potenciais patógenos humanos”, disse o estudo.

Em Charleston, na Carolina do Sul, os golfinhos tinham altos níveis de substâncias químicas orgânicas introduzidas pelo homem, que provavelmente provinham de fontes industriais.

Fonte: Daily Mail