Pesquisadores conseguem desligar gene relaciado ao Alzheimer

0 606

Um gene relacionado ao Alzheimer foi neutralizado em células cerebrais humanas pela primeira vez.

Os cientistas “desligaram” uma proteína associada ao gene apoE4, que danifica as células nervosas, levando à demência.

Os pesquisadores esperam que a descoberta possa abrir o caminho para um tratamento que interrompa a doença. Mas, é importante ressaltar que muitas terapias que são bem sucedidas no laboratório ou em animais frequentemente falham nos pacientes.

A presença de um gene apoE4 dobra o risco de uma pessoa ter Alzheimer, enquanto duas cópias aumentam o risco individual em 12 vezes. Cerca de uma em cada quatro pessoas carrega apoE4.

A doença de Alzheimer afeta aproximadamente 5,5 milhões de pessoas nos EUA.

Os pesquisadores, da organização de pesquisa biomédica Gladstones Institutes, em São Francisco, analisaram células nervosas doadas por pacientes com Alzheimer com duas cópias de apoE4.

Estas células foram comparadas com aquelas que não possuem o gene.

Os resultados sugerem que a presença de apoE4 provoca danos cerebrais, que poderiam ser evitados pela neutralização desse gene.

O composto que desliga a proteína por trás do apoE4 foi testado apenas em células no laboratório até o momento, com pesquisadores trabalhando para melhorar a substância para que ela possa ser testada em pacientes.

O autor principal, Yadong Huang, disse: ‘O desenvolvimento de medicamentos para a doença de Alzheimer tem sido uma grande decepção nos últimos 10 anos. Muitas drogas funcionam lindamente em um modelos animais, mas até agora todas falharam em testes clínicos.”

“Uma preocupação dentro do campo tem sido o quão mal esses modelos animais realmente imitam as doenças humanas.”

Leia mais

Os resultados foram publicados na revista Nature Medicine.