Jovens que praticam esporte de contato sofrem mudanças cerebrais

0 0

Jovens que sofrem impactos na cabeça em esporte de contato, como rugby e futebol americano, sofrem mudanças em seus cérebros após uma única temporada.

Varreduras cerebrais em jogadores de futebol americano da escola secundária, com idade inferior a 18 anos, encontraram alterações na matéria cinzenta e branca em seus cérebros, causadas pelas colisões.

Pesquisadores disseram que as descobertas se relacionam com todos os esportes de contato – e agora é importante descobrir se há efeitos a longo prazo.

A pesquisadora da Universidade do Texas, Dra. Elizabeth Davenport, disse: “É importante entender as possíveis mudanças que ocorrem no cérebro relacionadas aos esportes de contato com os jovens.”

“Sabemos que alguns jogadores de futebol americano profissionais sofrem de uma condição grave chamada encefalopatia crônica traumática, ou CTE.

“Estamos tentando descobrir quando e como esse processo começa, para que possamos manter o esporte uma atividade saudável para milhões de crianças e adolescentes.”

CTE – Encefalopatia crônica traumática

Leia mais

CTE é uma doença degenerativa progressiva do cérebro encontrada em atletas com uma história de concussões.
É conhecida por afetar pugilistas desde a década de 1920 – e pode levar à demência na vida mais tarde.

Casos de CTE foram observados em jogadores de um número de esportes de contato, incluindo rugby, futebol americano e hóquei no gelo.

O estudo apresentado em uma conferência da Radiological Society of North America em Chicago incluiu 24 jogadores de uma equipe de futebol americano do ensino médio na Carolina do Norte.

Cada participante usava um capacete equipado com o Head Impact Telemetry System (HITS) durante todas as práticas e jogos.

esporte de contato
Esporte de contato pode causar dano cerebral.

Os capacetes são alinhados com seis acelerômetros, ou sensores, que medem a localização e direção de uma batida, bem como sua força.

Os dados dos capacetes podem ser carregados para um computador para análise. A Dra. Davenport disse: “Vimos mudanças nos cérebros desses jovens jogadores em imagens estruturais e funcionais após uma única temporada de futebol”.

Antes e depois da temporada, cada jogador foi submetido a exames de ressonância magnética especializada.

 

Fonte: Daily Mail

Comentários

Loading...