Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Útero é operado fora do corpo da mãe para tratar espinha bífida de feto – Saiba mais!

0 269

Os médicos nos EUA têm sido pioneiros em um novo e surpreendente tratamento para espinha bífida em que o bebê é operado antes do nascimento.

A espinha bífida ocorre quando a coluna vertebral e a medula espinhal do bebê não se desenvolvem adequadamente, causando uma lacuna na coluna vertebral.

Isso afeta 24 bebês em 100.000. A condição deixa pacientes incapazes de caminhar, com acumulo de fluido no cérebro, falta de controle da bexiga e outras complicações.

A cirurgia fetal para a espinha bífida tem sido comum desde os anos noventa, mas tentar reparar a coluna vertebral enquanto o bebê ainda está dentro de sua mãe está repleta de dificuldade e a incisão no útero aumenta o risco de parto prematuro.

Link 100% seguro

Agora, o Dr. Michael Belford, do Baylor College of Medicine em Houston, Texas, desenvolveu uma nova técnica para remover o bebê e o útero de modo que qualquer defeito da coluna vertebral possa ser corrigido.

Embora o útero ainda esteja ligado à mãe, uma vez fora do corpo dela o médico pode drená-lo, com melhores condições através das incisões.

Uma das primeiras operações foi realizada no mês passado na cabeleireira Lexi Royer (28), que preferiu participar da cirurgia experimental quando seu bebê tinha 24 semanas de idade.

“Nós estávamos esperando por danos cerebrais, tubos de alimentação, um tubo de respiração, cadeira de rodas, apenas na má qualidade de vida”, disse a Sra. Royer a “The New York Times”.

“Não é a cura 100%, mas de qualquer forma, sinto que é a coisa certa para nós. Vendo o ultra-som e o quão bem ele está indo, movendo seus tornozelos e pés, é um momento tão feliz. Não consigo imaginar mais adiante na gravidez sem saber todos os dias que dano está sendo feito. É um grande alívio para ele avançar “.

A cirurgia

Durante a operação de três horas no Texas Children’s Hospital em Houston, o Sr. Belfort abriu o abdômen da Sra. Royer, mas em vez de cortar o útero, retirou todo o útero. Ele então fez duas fendas no útero, uma para um fetoscopia – uma pequena câmera projetada para iluminar e filmar por dentro – e outra para ferramentas cirúrgicas.

Os médicos bombearam dióxido de carbono para manter o útero inflado, dando espaço para o trabalho e permitindo que eles vissem a coluna mais facilmente.

Depois de injetar anestésicos, a equipe abriu a pele sobre a medula espinal, deixando-a exposta e costurou-a no lugar. Os médicos então realocaram o útero de volta na senhora Royer.

Para desenvolver o procedimento, o Dr. Belfort e o colega, o Dr. Whitehead, passaram dois anos praticando em velhas e em uma bola de borracha com uma boneca no interior, embrulhada em pele de frango para imitar o defeito na espinha bífida.

Fonte: Independent.ie

Inscreva-se no Notícia Alternativa
Inscreva-se no Notícia Alternativa
Inscreva-se para receber mais notícias e atualizações
Você pode desativar quando quiser