Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Se você sofre de enxaquecas é melhor não olhar para zebras – Entenda!

0 28

Se você é propenso a enxaquecas, você deve ficar longe de camisetas listradas e zebras.

Uma revisão descobriu que algumas pessoas sofrem uma reação cerebral de olhar para padrões de listras pretas e brancas.

Em casos extremos podem desencadear um ataque epilético, e os cientistas acreditam que as listras, como aquelas encontradas nos códigos de barras, poderiam também causar dores de cabeça incapacitantes nas pessoas que são sensíveis à luz.

Uma equipe de pesquisa liderada pelo Centro Médico Universitário de Utrecht, na Holanda, analisou as oscilações gama no cérebro, usando eletrodos ligados à cabeça.

Essas ondas cerebrais foram desencadeadas por listras verticais em preto e branco, mas não por imagens, incluindo nuvens macias e cenas de natureza.

Mudar as listras, alterando o contraste em sua cor ou sua largura, acalmou a atividade no cérebro, o que os cientistas acreditam poder levar a convulsões e dores de cabeça.

A Dra. Dora Hermes, da UMC de Utrecht, disse: “Nossos resultados implicam que ao projetar edifícios, pode ser importante evitar os tipos de padrões visuais que podem ativar esse circuito e causar desconforto, enxaquecas ou convulsões. Mesmo pessoas perfeitamente saudáveis ​​podem sentir desconforto modesto das imagens que são mais susceptíveis de provocar convulsões na epilepsia fotossensível”.

Pesquisas anteriores

Pesquisas anteriores mostraram que as pessoas com enxaqueca são afetadas por listras, como um estudo em 1989, que encontrou 82% dos pacientes com enxaqueca eram sensíveis a tarja, em comparação com apenas 6,2 por cento dos que não tiveram enxaquecas.

Luzes piscando são bem conhecidos por seu potencial para desencadear convulsões em pessoas com epilepsia sensível à luz.

Um episódio particular de Pokémon enviou 685 pessoas no Japão para o hospital, mas convulsões e enxaquecas também podem ser desencadeadas por imagens estáticas.

Leia mais

A revisão, publicada na Cell Biology sugere, que o padrão repetitivo de atividade neural no cérebro conhecido como oscilação gama é a chave do problema.

Fonte: Daily Mail