Conheça mais sobre a rara doença que já matou 18 nos EUA – Elizabethkingia-anophelis

0 1.640

Bactéria rara, Elizabethkingia anophelis, já matou 18 pessoas em dois estados dos EUA. Conheça mais sobre essa perigosa ameaça.

Uma rara bactéria chamada Elizabethkingia anophelis, já infectou mais de 50 pessoas nos EUA em o que parece ser um surto, com base no protocolo definido pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos. Até o momento 18 mortes foram ligados ao surto.

Autoridades de saúde nos dois estados com vítimas -Wisconsin e Michigan- ainda não sabem como o surto começou.

Aqui está o que sabemos sobre as bactérias, com base em uma visão fornecido pelo especialista em microbiologia Yun Wang da Emory University School of Medicine e especialista em doenças infecciosas Nirav Patel do Hospital Universitário de Saint Louis.

Bactéria:

O gênero de bactérias Elizabethkingia é nomeado após Elizabeth King, uma microbiologista do CDC que descobriu a espécie em 2011. Desde então, muitas outras espécies no gênero foram encontradas, incluindo E. anophelis, que é responsável pelas infecções no atual surto americano.

A análise genética pelo CDC revelou que as infecções podem ter vindo de uma única fonte, mas o que é motivo de preocupação é que as autoridades de saúde ainda não encontraram a fonte. De acordo com Wang, a maioria dos casos anteriores adquiriram a infecção em hospitais, que têm sido sempre um foco de infecções microbianas.

Doença:

Elizabethkingia são geralmente encontrados na água, solo, ou, insetos. A maioria das pessoas saudáveis podem se defender contra um ataque dessas bactérias. Aqueles em risco são pessoas com sistemas imunitários fracos, tais como crianças ou adultos mais velhos. A maioria dos que morreram no recente surto estavam com idade superior a 65 anos, e tinha graves problemas de saúde subjacentes.

A infecção pode se manifestar de forma diferente em pessoas diferentes. E. anophelis pode infectar o sangue, via respiratória, ou a pele. Se não for tratada com antibióticos, a gravidade da infecção pode aumentar, resultando em choque séptico, dificuldade em respirar, ou erupções cutâneas e inchaço, e, por vezes, pode ser fatal.

Resistência:

Elizabethkingia é um bactéria guerreia. Ele pode resistir a desinfetantes, tais como água sanitária e até mesmo algumas drogas. A espécie de E. meningosepticum, por exemplo, é conhecido por ser resistente aos antibióticos dos mais poderosos.

A boa notícia é que, apesar de todas as espécies do gênero terem alguma forma de resistência aos medicamentos, eles não são resistentes a todas as drogas. A chave é identificar o organismo e usar o antibiótico certo, uma tarefa difícil, mas não impossível.

Por enquanto, as autoridades de saúde locais estão se preparando para a possibilidade de mais casos da infecção a ser identificados e continuará a procurar a sua fonte.

Fonte: Quartz.com

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência AceitarLeia Mais