Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Ebolavírus precisa de poucas mutações para atingir novas espécies

0 12

Pesquisadores identificaram quantas mutações podem ser necessárias para que o Ebolavírus se adapte a novas espécies previamente resistente

Ebola é uma das doenças mais virulentas do mundo, embora espécies de roedores, como cobaias, ratos e camundongos não são normalmente susceptíveis a ele. Contudo, através da infecção repetida de um animal hospedeiro, podem ser geradas estirpes de vírus Ebola que se replicam e causam doenças dentro de novas espécies de roedores hospedeiros.

Cientistas da Escola de Biociências da Universidade de Kent examinaram as mudanças associadas à adaptação de Ebolavírus a roedores, incluindo cobaias e camundongos, em quatro estudos diferentes. Eles descobriram que apenas poucas mutações, provavelmente menos de cinco, são necessárias para que o vírus se adapte.

Em particular, uma alteração na proteína Ebolavírus VP24 parece ser crítica para que os vírus Ebola infectem uma nova espécie animal. Ebolavírus infectando espécies domésticas, incluindo suínos e cães, também pode resultar em alterações de vírus que podem aumentar o risco para os seres humanos.

Reston vírus, Ebolavírus que não foram mostrados causadores de doença em seres humanos, até agora, são conhecidos por circularem em suínos domésticos na Ásia.

A pesquisa foi realizada pelo Dr. Mark Wass (Professor Principal em Biologia Computacional), o Professor Martin Michaelis (Professor de Medicina Molecular), eo Dr. Jeremy Rossman (Conferencista Sênior em Virologia) e membros de seus grupos de pesquisa.

A pesquisa, intitulada Alterações associadas com a adaptação do vírus Ebola a novas espécies, foi publicada na revista Bioinformática.