Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Dengue e Zika – Exposição prévia à dengue pode piorar infecção pelo vírus Zika

0 12

Ser imune a um vírus é uma coisa boa, mas pesquisadores publicaram hoje que isso pode não ser uma verdade geral, especialmente se tratando de Dengue e Zika.

A lição apareceu no resultado de um estudo que procurou entender a gravidade do surto de Zika no Brasil. Experimentos em células e camundongos sugerem que uma exposição anterior à dengue pode piorar a infecção pelo vírus Zika.

“Anticorpos que você gera a partir da primeira infecção podem facilitar a entrada do vírus Zika em células susceptíveis, exacerbando o resultado da doença”, diz o virologista Dr. Jean K. Lim. Lim e colegas relatam os resultados online hoje, 30 de março, na revista Science.

O estudo é o primeiro a demonstrar esse efeito em camundongos, bem como o primeiro a envolver o vírus do Nilo Ocidental, observa Dr. Sharon Isern, virologista molecular na Florida Gulf Coast University em Fort Myers.

Zika é semelhante a outros membros de sua família viral, os flavivírus. Ele compartilha cerca de 60 por cento de sua informação genética com o vírus da dengue e vírus do Nilo Ocidental. Os surtos de dengue são comuns na América do Sul e Central, e a dengue, assim como o Nilo Ocidental, são endêmicas dos Estados Unidos.

A exposição a um vírus estimula o corpo a criar anticorpos, que impedem a doença quando ocorre uma infecção subsequente com o vírus.

Mas um fenômeno peculiar chamado “aumento dependente de anticorpos” tem sido descrito em pacientes com dengue (SN: 6/25/16, p.22).

O vírus da dengue tem quatro versões diferentes. Quando uma pessoa com imunidade a um tipo de dengue fica doente com outro tipo, a doença é pior pela segunda vez. Os anticorpos da exposição anterior à dengue realmente ajudam o vírus da dengue a infectar as células, em vez de bloqueá-las.

Precauções

“Isso é importante porque em locais onde o vírus Zika está causando surtos, como na América do Sul, atualmente existem outros vírus circulantes, como a dengue, que é altamente prevalente”, diz Dr. Lim.

O Zika também está se espalhando nos Estados Unidos, onde um número estimado de 3 milhões de residentes abrigam anticorpos contra o Nilo Ocidental. “Se você souber que já foi infectado com o Nilo Ocidental ou dengue, isso precisa ser considerado um fator de risco”.

Com este trabalho em mãos, o próximo passo é realizar estudos clínicos para “olhar para os indivíduos que foram infectados com Zika, obter uma boa história do paciente, ver se eles tiveram exposição anterior à dengue e determinar se a gravidade da doença é ou não pior. ”

Fonte: Science