Como surgiram as baleias? Veja a explicação!

0 127

Assim como despir-se para nadar, os ancestrais de baleias e golfinhos podem ter perdido alguns genes durante a transição da terra para água.

Antepassados ​​de orcas, golfinhos e outros cetáceos perderam a função de pelo menos 85 genes quando os animais se adaptaram para viver em tempo integral na água, relatam pesquisadores em 25 de setembro na Science Advances.

Os cientistas compararam o DNA de baleias e golfinhos com o de outros mamíferos para encontrar 236 genes ausentes nos cetáceos. Desses genes ausentes, 85 ainda estão presentes nos hipopótamos, parentes mais próximos dos cetáceos, sugerindo que os genes foram perdidos durante a transição terra-água há cerca de 50 milhões de anos.

Os cetáceos podem ter se adaptado ao mergulho por descartar genes envolvidos na regulação da pressão sanguínea, na coagulação sanguínea e no reparo do DNA.

O DNA sofre danos por ciclos de baixo e alto oxigênio, à medida que os animais mergulham em águas profundas e ressurgem novamente. Um dos genes perdidos, o POLM, codifica uma enzima de reparo do DNA que é propensa a erros, mesmo nas melhores circunstâncias, portanto, livrar-se dela pode ter dado uma vantagem aos ancestrais dos cetáceos.

“Acreditamos que, ao perder a proteína mais superficial envolvida, você provavelmente aumenta a fidelidade ao reparo do DNA”, diz o genomicista evolucionista Dr. Michael Hiller, do Instituto Max Planck de Biologia Celular e Genética Molecular em Dresden, Alemanha.

Dar tchau a outros genes envolvidos na função pulmonar pode ter ajudado as baleias e golfinhos a evitar danos quando seus pulmões colapsam temporariamente durante mergulhos profundos.

E perder outro gene, o SLC4A9, que regula a produção de saliva também ajudou diz Hiller. Como eles vivem na água, golfinhos e baleias não precisam de saliva para lubrificar ou ajudar a quebrar os alimentos.

Produzir menos saliva também pode ajudar os animais a reter água fresca dentro de seus corpos, o que seria uma vantagem quando se vive em água salgada que enfraquece a umidade, diz ele.

Os cetáceos também não possuem as enzimas necessárias para produzir o hormônio indutor do sono melatonina, segundo a equipe de Hiller. Esse hormônio pode não ser mais necessário para esses animais, que dormem usando apenas um lado do cérebro por vez.

Fonte: Science News

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More