Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Novo mapeamento do cérebro humano surpreende pelos detalhes

0 39

Novo mapa fornece imagem detalhada de como o cérebro humano é organizado.

Cérebro humano. No início de 1900, o neurologista Korbinian Brodmann desenhou alguns dos primeiros diagramas do córtex humano com a mão. Tendo em base em diferenças na arquitetura celular que ele pode ver sob um microscópio.

Por mais de um século, os cientistas continuaram usando esses mapas, bem como aqueles de neuroanatomistas que seguiram os passos de Brodmann. Agora, os neurocientistas têm criado uma atualização para os primeiros diagramas. O projeto usou dados cerebrais anatômicas e funcionais do Conectoma Human Project em larga escala. Todos os dados foram digitalizado para mapear funções e estruturas do cérebro de centenas de amostras humanas.

Gráfico

cérebro humano
Novo mapeamento do cérebro humano

Tentativas anteriores de mapeamento das camadas mais externas do cérebro responsável pela resposta sensorial, processamento motor, linguagem e raciocínio tiveram resultados mistos. Isso porque alguns foram baseados em amostras pequenas e outros voltados para apenas um aspecto da estrutura/função cerebral.

Para criar um mapa mais detalhado, a equipe olhou para quatro medidas de estrutura e função, incluindo a espessura e número de dobras no córtex e qual atividade diferente regiões exibidos em um scanner de ressonância magnética funcional durante uma dada tarefa.

O estudo reuniu dados de 210 adultos saudáveis. Depois usou-se um algoritmo de aprendizado de máquina para detectar distintas regiões chamadas de “impressões digitais”. O programa definiu 180 áreas distintas, incluindo cerca de 100 que nunca foram descritos antes. Os relatos foram publicados na revista Nature. O mapa de várias camadas mais nítida permitirá comparações mais detalhadas entre seres humanos e outros primatas, lançando luz sobre como nossos cérebros evoluíram, dizem os cientistas. Isso pode também ser uma vantagem para neurocirurgiões.

Fonte: Science Magazine