Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

Candida auris – A infecção fúngica que está assustando o mundo.

0 1.658

Candida auris – Autoridades de saúde têm alertado sobre essa espécie de fungo. Capaz de causar infecção mortal, ela é resistente a medicamentos e está se espalhando pelo mundo.

Há relatos de unidades de saúde em todo o mundo que reivindicam que um tipo de fungo chamado Candida Auris é responsável por infecções graves e fatais.

Candida auris é da mesma família de microrganismos que provocam aftas. Mas esse fungo é capaz de entrar no trato urinário e respiratório.

Isto significa que a levedura pode entrar na corrente sanguínea e se espalhar por todo o corpo, causando infecções invasivas graves, disse o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Link 100% seguro

Tanto o CDC quanto a Saúde Pública Inglesa (PHE) emitiram avisos para os hospitais nesta semana para que eles passem a ser mais vigilantes sobre essa cepa – o que é difícil de se identificar com os métodos laboratoriais padronizados. O fungo foi igualmente identificado na Coreia do Sul, Índia, África do Sul, Kuwait, Colômbia, Venezuela, Paquistão.

Com base em informações de um número limitado de pacientes, 60% das pessoas com a infecção morreram, advertiu o CDC. No entanto, muitas dessas pessoas tinham outras doenças graves que também aumentou o risco de uma morte prematura.

candida auris
Candida auris

No Reino Unido, oito pacientes foram identificados em 2013, seguido por outro surto que afetou 40 pacientes em 2015. No entanto, com estes relatórios limitados, não é possível calcular a prevalência da infecção.

Controle

É preocupante, pois o fungo é difícil de controlar. Ele se espalha facilmente através de ambientes hospitalares. É mais perigoso em pacientes que possuem o sistema imunológico comprometido ou estão lutando contra outras condições.

Essa cepa não responde à maioria das drogas antifúngicas comuns. Ele também pode ser confundido com forma mais branda de infecções fúngicas – deixando os pacientes vulneráveis. PHE e CDC enviou orientação sobre como unidades de saúde devem testar as infecções, bem como gerenciar e impedi-las.

Evidências preliminares sugerem que o fungo pode se espalhar através do contato com superfícies ou equipamentos/ambientais contaminados. Podem se espalhar de pessoa para pessoa também. Ainda é necessário mais investigação sobre este assunto.

Por enquanto, recomenda-se que os pacientes infectados fiquem isolados em seus próprios quartos, que são limpos com desinfetante anti-fúngico todos os dias.

Fonte: Daily Mail

Inscreva-se no Notícia Alternativa
Inscreva-se no Notícia Alternativa
Inscreva-se para receber mais notícias e atualizações
Você pode desativar quando quiser