Radioterapia para câncer de mama invasivo pode causar câncer pulmonar

0 51

O câncer de pulmão é a principal causa de mortes por câncer em todo o mundo, causando mais mortes do que os cânceres de mama, cólon e próstata combinados.

Os fatores de risco para desenvolver câncer de pulmão incluem tabagismo, idade, história familiar, exposição à radiação médica ou ocupacional e outras doenças inflamatórias crônicas, como fibrose pulmonar e doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).

Além disso, um histórico de câncer prévio tal como linfoma, câncer da cabeça e pescoço ou câncer relacionado com o fumo é considerado um fator de risco para desenvolver um segundo câncer primário do pulmão (SPLC).

Estudos também demonstraram que os segundos cânceres primários, especificamente o câncer esofágico, podem desenvolver-se após terem recebido radioterapia para um câncer anterior. Curiosamente, enquanto a exposição à radiação é um fator de risco conhecido para câncer de pulmão, não está claro se o tratamento com radioterapia (RT) para câncer de mama aumenta o risco de desenvolver SPLC.

Pesquisadores taiwaneses realizaram um estudo para avaliar se os pacientes com câncer de mama tratados com RT estão em maior risco de desenvolver SPLC.

O estudo

O banco de dados de seguro de saúde Longitudinal de Taiwan (LHID), que é aleatoriamente abstraído do National Health Insurance Research Database, foi usado para coletar 986.713 pacientes com eventos médicos de 2000 a 2010 para análise de coorte.

Todas as mulheres com recém-diagnosticado câncer da mama invasivo, com 18 anos ou mais, e sem outros tipos de malignidade antes de 2000 ou nos períodos de seguimento foram inscritos no estudo. Os pacientes elegíveis foram atribuídos às coortes de radiação ou não-radiação.

Foram analisadas a idade, comorbidades, prêmio de seguro, nível de urbanização, localização, data de evento e nível de atendimento hospitalar.

Leia mais

Os resultados do estudo publicado no Journal of Thoracic Oncology, relataram que dos 986.713 pacientes identificados no LHID, 7.408 pacientes do sexo feminino com câncer de mama foram elegíveis para o estudo. Dentre estes, 5.696 pacientes foram submetidos a radioterapia e 1.713 não. No final do período de acompanhamento, o câncer de pulmão foi diagnosticado em 128 pacientes da coorte de radioterapia (2,25%) e 4 pacientes na coorte não-radiação (0,23%).

A análise mostrou que a razão de risco ajustada era 10,08 vezes maior na coorte de radioterapia do que na coorte não-radiação.

Os autores comentam que “as escolhas terapêuticas para o câncer de mama são multidisciplinares e incluem uma combinação de resseção cirúrgica, radiação, quimioterapia, terapia hormonal e terapia direcionada”.

Este estudo investigou se a radiação, uma opção terapêutica frequentemente utilizada para tratamento multidisciplinar de câncer de mama.

Resultados

Os resultados deste estudo mostraram que a radiação para o câncer de mama, que é uma importante opção de tratamento, foi correlacionada com um aumento significativo na incidência de SPLC, particularmente entre as mulheres mais velhas ou aquelas com câncer de mama em estágio avançado, independentemente do estágio clínico ou patológico, a radiação para o câncer de mama também aumentou significativamente o risco na coorte não-radiação.

Os pacientes submetidos à radiação para o tratamento multidisciplinar do câncer de mama devem ser cuidadosamente monitorados para detectar SPLC potencial.

 

Fonte: Eurekalert

Comentários

Loading...