Notícia Alternativa
Notícia interessante é Notícia Alternativa - Ciência/Saúde/Cultura/Tecnologia

NASA descobre algo saindo de buraco negro

0 83

A NASA ainda não sabe exatamente o que é, mas uma coisa é certa: algo estranho saiu do poderoso buraco-negro supermassivo Markarian 335.

 

Foi praticamente um milagre, mas o conjunto do telescópio espectroscópico nuclear (NUSTAR), da NASA, avistou o halo de um buraco-negro “lançado” do buraco-negro supermassivo. Em seguida, um pulso maciço de energia de raios-X foi expelido. Então, o que aconteceu exatamente? Isso é o que os cientistas estão tentando descobrir.

“Foi a primeira vez que conseguimos conectar o lançamento do halo de uma labareda”, disse Dan Wilkins, da Universidade de Saint Mary. “Isso vai nos ajudar a entender como os buracos negros supermassivos alimentam alguns dos objetos mais brilhantes do Universo.”

Fiona Harrison, é uma das principais pesquisadoras do NUSTAR, ela observou que a natureza da fonte energética é “misteriosa”, mas acrescentou que a capacidade de registrar um evento como esse deve fornecer algumas evidências sobre o tamanho e estrutura do buraco-negro e novas informações sobre o papel dos buracos-negros no Universo.

Felizmente, para nós, este buraco-negro fica a 324 milhões de anos-luz de distância. Assim, não importa o quão estranho sejam estes novos achados, mas é confortante saber que o Markarian 335 não deve ainda ter um efeito devastador sobre nosso cantinho do Universo.

De acordo com a Teoria da Relatividade Geral, um buraco-negro é uma região do espaço da qual nada, nem mesmo partículas que se movem na velocidade da luz, podem escapar. Este é o resultado da deformação do espaço-tempo, causada após o colapso gravitacional de uma estrela, com uma matéria astronomicamente maciça e, ao mesmo tempo, infinitamente compacta e que, logo depois, desaparecerá dando lugar ao que a Física chama de Singularidade.

Acredita-se, também, com base na mecânica quântica, que buracos negros emitam radiação térmica, da mesma forma que os corpos negros da termodinâmica a temperaturas finitas. Esta temperatura, entretanto, é inversamente proporcional à massa do buraco negro, de modo que observar a radiação térmica proveniente destes objetos torna-se difícil quando estes possuem massas comparáveis às das estrelas.

Fonte: Blastr