Animal assustador é encontrado em âmbar – Saiba mais!

0 505

Restos de uma criatura estranha, parecida com uma aranha, acaba de ser descoberta no sudeste da Ásia. O animal foi descoberto envolvido em âmbar.

Acredita-se que o animal foi preservado no âmbar durante o período Cretáceo, cerca de 100 milhões de anos atrás. A criatura parece ser bem diferente do que qualquer outro animal já observado na Terra.

O âmbar foi extraído em Mianmar e é considerado um tesouro para entender a evolução das aranhas e de seus outros parentes aracnídeos.

Nesta semana, duas equipes independentes descrevem quatro espécimes de 100 milhões de anos envoltos em âmbar que parecem um cruzamento entre uma aranha e um escorpião.

A descoberta “pode ajudar a fechar grandes lacunas em nossa compreensão da evolução das aranhas”, diz Dr. Prashant Sharma, biólogo evolucionista do desenvolvimento da Universidade de Wisconsin, em Madison, que não participou do trabalho.

O que são os aracnídeos e a descoberta

Os aracnídeos formam um grupo de invertebrados de oito patas que incluem escorpiões, carrapatos e aranhas. As aranhas, que surgiram há cerca de 300 milhões de anos, são conhecidas por suas fieiras, “pernas” modificadas que produzem seda.

Aranhas masculinas também desenvolveram outra “perna” modificada entre suas presas e as costas quatro pares de pernas que inserem espermatozóides na fêmea. Todas, exceto as aranhas mais primitivas, têm costas lisas, ao contrário dos abdomens segmentados de escorpiões, que se acredita terem divergido de um aracnídeo ancestral há mais de 430 milhões de anos.

O espécime encontrado no âmbar dá uma visão realmente clara do dorso, da parte inferior, das fieiras e de tudo mais, disse Dr. Huang, o autor do estudo. A publicação foi feita na revista Nature Ecology and Evolution.

“O grau de preservação é excelente e a anatomia do fóssil é fácil de interpretar”, diz Dr. Sharma. A presença das fieiras, ele acrescenta, significa que elas devem ter se originado “muito cedo” na evolução dos aracnídeos. O espécime masculino também têm apêndices especiais para inserir espermatozóides na fêmea.

“Essas coisas parecem ser essencialmente aranhas com caudas!”, Diz Dr. Jason Bond, um biólogo evolucionário da Universidade de Auburn, no Alabama, que não estava envolvido no trabalho.

Isso significa que os primeiros aracnídeos tinham uma mistura de todas essas características, que foram seletivamente perdidas em seus descendentes, dando origem ao conjunto de aracnídeos visto hoje.

E o mais surpreendente, diz Dr. Bond, é que o âmbar tem apenas 100 milhões de anos. Então, esses parentes de aranhas caçaram lado a lado com aranhas por 200 milhões de anos.

Fonte: Geology In

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência AceitarLeia Mais