Amamentação materna tem novo benefício associado.

0 3

Um novo estudo, descobriu que amamentação materna durante os primeiros 28 dias de vida proporcionou aumento no volume de certas regiões cerebrais em crianças. Fato está associado com maior QI.

 

Amamentação materna. Os pesquisadores estudaram crianças nascidas antes de 30 semanas de gestação. Eles compararam bebês que receberam 50% mais leite materno do que outros em 28 dias de vida. Além disso, os investigadores examinaram os dados relativos as medidas de volumes cerebrais por ressonância magnética (MRI). As análises foram feitas em idade equivalente de cada bebê e aos sete anos de idade. O estudo também olhou para a capacidade cognitiva (QI, leitura, matemática, atenção, memória de trabalho, a linguagem, visual percepção) e testes de motor aos sete anos de idade.

“Os nossos dados suportam as recomendações atuais para o uso de leite materno para alimentar bebês prematuros durante a sua unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN). Isto é importante não só para as mães, mas também para hospitais, empregadores e amigos/membros da família. Esse fato faz com que eles possam prestar o apoio necessário durante este tempo que as mães estão sob estresse e trabalhando tão duro para produzir leite para seus bebês”. Diz Mandy Brown Belfort, MD. Pesquisadora do Departamento de recém-nascidos no Hospital Brigham.

amamentação materna
Amamentação materna está associado a maiores QI

Os resultados mostram que, todos os bebês e crianças que receberam leite predominantemente de mamas em mais dias durante a sua hospitalização teve maior volume do núcleo profundo cerebral. Área importante para o processamento e transmissão de sinais neurais para outras partes do cérebro. Na idade equivalente e aos sete anos, as crianças tiveram melhor desempenho nos testes de QI, matemática, testes de memória de trabalho e função motora. No geral, a ingestão de leite humano correlacionou-se com melhores resultados.

Trabalhos futuros

“Muitas mães de bebês prematuros têm dificuldade em fornecer leite materno para seus bebês. Para isso precisamos trabalhar duro para garantir que essas mães tenham os melhores sistemas possíveis de apoio. Com isso maximizar a sua capacidade de alimentação. Também é importante notar que há muitos fatores que influenciam o desenvolvimento de um bebê”. Disse Belfort.

Leia mais

Belfort acrescenta que estudos futuros, utilizando outras técnicas de ressonância magnética poderia fornecer mais informações. Principalmente sobre as formas específicas em que a ingestão de leite humano podem influenciar a estrutura e função do cérebro. Trabalhos futuros também são necessários. Principalmente para desvendar o papel da amamentação e outros tipos de cuidados sobre o desenvolvimento cerebral do bebê prematuro.

[sg_popup id=”3″ event=”onload”][/sg_popup]

Os resultados foram publicados online no Journal of Pediatrics.

Comentários

Loading...